Armadilha da Funpresp

Armadilha da Funpresp

Por Cléber Borges de Aguiar, coordenador da Fenajufe

Este artigo é de inteira responsabilidade do autor, não sendo esta necessariamente a opinião da diretoria da Fenajufe

O governo federal (Dilma/PT) está em campanha para que todos servidores adiram ao fundo chamado Funpresp

Os fundos de previdência privada têm duas funções principais: Formar um colchão para socorrer megainvestidores em períodos de crise e desviar recursos do fundo aplicando em papéis com prejuízo  certo, como vimos acontecer recentemente com servidores estaduais e municipais.

Por isso o governo está em campanha para que todos os servidores, antigos e novos adiram a Funpresp, oferecendo indenizações pra quem aderir. Cuidado com esta armadilha.

Se não aderirmos o fundo não se viabiliza, porém, para os que assinarem, como ele é irrevogável e irretratável, ficarão sem a aposentadoria e sem o fundo.

Outro dado importante é que o modelo da Funpresp reduz a arrecadação do governo nos 30 primeiros anos do fundo, comprometendo os proventos dos aposentados pelo regime anterior. Ou seja, quem aderir prejudica a si mesmo pois esses fundos, em geral quebram, como o Montepio da Família Militar, Capemi, e outros, nos deixando desprovidos na fase mais crítica de nossas vidas. E prejudica também o conjunto dos servidores aposentados. Tudo isso para garantir o lucro dos bancos e grandes rentistas que financiam as campanhas eleitorais.

Para atrair os servidores antigos para o fundo o governo congelou os salários por anos e ofereceu crédito para que estes se endividassem e  ficassem mais suscetíveis a aceitar a indenização para sair do consignado e entregar seu futuro. Mesmo que matematicamente vc ache vantajoso, não esqueça que o risco desse fundo quebrar e te deixar na mão, é enorme.

Derrotar este ataque do governo às nossas aposentadorias e recuperar o direito dos servidores mais novos está em nossas mãos. Quebrando esse fundo teremos mais força para revogar a Reforma da Previdência de FHC, Lula e Dilma, comprada com mensalão. Funpresp? To fora!