NS BOM PARA TODOS: Técnicos e Analistas

Por Luis Amauri Pinheiro de Souza, servidor do TRT-RJ

A evolução do modo de produção na nossa sociedade requer cada dia mais qualificação. Assim, no passado, quem tinha apenas o fundamental era servidor do judiciário federal. Hoje tais funções estão terceirizadas.

Nada mais correto que a carreira de Técnico Judiciário deixe de ser de nível médio e passe a ser de nível superior. Assim como tem ocorrido com diversas outras carreiras tanto federais como estaduais.

Há os que, no PJU, nos acusam de com isto estarmos permitindo a terceirização de algumas carreiras, quando de fato estas carreiras mencionadas já estão terceirizadas. A exemplo, em 1967 foram criadas vários cargos de faxineiro no quadro de pessoal do TRT RJ. Hoje todo este serviço está terceirizado. No TRT RJ, hoje, há cerca de 4.000 servidores e 1.000 terceirizados. De fato, o NS impede é a terceirização das tarefas

tidas como "meramente administrativas" ocupadas por servidores de nível médio.

Há os que nos acusam de estarmos dividindo a categoria. Mas são os mesmos que têm defendido que as CJs sejam apenas para os analistas. São os mesmos que têm defendido que apenas os analistas passem a ser carreira típica de estado.

Então pergunto: quem são os que dividem a categoria ???

Há os que são contra o NS para Técnico com o argumento de quem isto elitiza o Judiciário e impede o acesso aos que não têm faculdade. Ora, a elitização já foi dada pela complexidade das matérias exigidas nas provas dos concursos. Não há ensino médio no país que tenha no currículo direitos constitucional, muito menos administrativo, eleitoral, trabalho, processo do trabalho, etc. Tudo exigido de forma "tão básica" que até OJ está é cobrada. Portanto, a chamada "elitização" é mera falácia.

Há ainda os que por ingenuidade ou má-fé, buscam deturpar nossa reivindicação, dizendo que o NS prejudicará os analistas que terão sua remuneração congelada. É MENTIRA.

O PL de NS aprovado na IX Plenária Nacional da Fenajufe é sem tabela, portanto, é sem alteração salarial.

Daí, dizem que depois os TJs pedirão a equiparação.

É um falácia. Equivale a dizer "se a criança amanhã pode matar, então ela não pode nascer".

A criança vai nascer. O que ela irá reivindicar amanhã, ninguém pode prever, tampouco assegurar o que ela vai conquistar.

Mas certamente o nascimento do NS irá calar com os que querem as CJs só para os analistas, pois tornará nulo o argumento de que "nível médio não pode chefiar nível superior".

Assim, conclamo a todos, exceto os que cobiçam as CJs só para si, a se alinharem na defesa do NS para os TJs.

1 - porque permite a carreira típica de estado para todos.

2 - porque elimina a comparação da remuneração do judiciário com a dos técnicos de nível médio do executivo, argumento sempre utilizado pelo MPOG para impedir nossos reajustes salariais.

3 – porque o judiciário não é diferente das outras carreiras onde o nível médio está sendo transformado em nível superior a partir desta exigência nos próximos concursos.

A criança vai nascer é será boa para todos, exceto para os que são motivados pela cobiça.

 

NS JÁ.

Veja as emendas que estes “gulosos” patrocinaram no PL 7920/14

Visando “usurpar” as CJs:

http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1282145&filename=EMC+9/2014+CTASP+%3D%3E+PL+7920/2014

 

e

 

http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1282146&filename=EMC+10/2014+CTASP+%3D%3E+PL+7920/2014 

 

Visando a carreira exclusiva de estado só para eles: 

http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1282143&filename=EMC+7/2014+CTASP+%3D%3E+PL+7920/2014

 

  *Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores.*