Fonasefe prepara Greve Geral convocada para 30 de junho

Fórum ainda tenta emplacar proposta de paralisação de 48 horas 

Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais reuniram-se mais uma vez na quarta-feira, 7, para discutir o cenário extremamente adverso ao segmento e estratégias de reação contra as reformas tocadas pelo governo no Congresso Nacional. Pela Fenajufe, participaram os coordenadores Adriana Faria e Julio Brito. 

A avaliação do Fórum é que as propostas atingem não apenas os servidores, mas o conjunto de trabalhadores e a sociedade como um todo. Para fortalecer a resistência aos ataques e o avanço da retirada de direitos  patrocinada por um Congresso comprometido com o empresariado,  a mobilização dos trabalhadores é a saída. Mais uma vez foi reafirmada a necessidade de fortalecimento dos Fóruns Estaduais dos Servidores Públicos. 

Convocada pelas centrais para 30 de junho, a Greve Geral será mais um momento de construção da unidade entre os trabalhadores brasileiros. A primeira aconteceu em 28 de abril e teve o  #OcupaBrasília como palco dos protestos. O Fonasefe questiona as centrais sobre o motivo de realizar uma paralisação de apenas 24 horas. O Fórum defende a Greve Geral de 48 horas. Um " esquenta" da Greve Geral está previsto para o dia 20 de junho, terça-feira, com programação sendo elaborada.

Outro tema discutido foi a realização de uma campanha nacional de valorização do servidor público junto à sociedade. Esta é uma das estratégias de contraposição ao discurso do governo, que joga nas costas dos servidores públicos a responsabilidade pelo rombo nos cofres públicos federais, estaduais e municipais. É um discurso desonesto que precisa ser combatido.

Quanto à campanha salarial deste ano, foi deliberado que o Fórum solicitará instalação de mesa de negociação. Mas a má vontade do governo é patente e a postura de dificultar a negociação ficou clara ante o silêncio do ministério quanto ao pedido. 

Ataque à estabilidade dos SPFs 

Proposta da Fenajufe aprovada pelas entidades, o Fórum se posicionou contrário ao PLS 116/17, da senadora Maria do Carmo Alves (DEM-SE). O projeto propõe o fim da estabilidade dos servidores dos três poderes da República — Executivo, Legislativo e Judiciário, nas esferas federal, estadual e municipal. Uma nota pública contra a proposta foi elaborada e aguarda aprovação dos integrantes do Fonasefe.

O relatório completo da reunião pode ser acessado AQUI

A Fenajufe orienta os sindicatos a intensificarem as mobilizações contra os ataques aos direitos dos trabalhadores e trabalharem pelo fortalecimento dos Fóruns Estaduais dos SPFs.

A próxima reunião do Fonasefe acontece na terça-feira, 13, a partir das 15 horas, na sede do Andes-SN.