Fenajufe discute estratégia de abordagem para atuação no Congresso Nacional na próxima semana

 

 

 

Uma reunião entre os coordenadores Adriana Faria, Edmilton Gomes - plantonistas da semana - e o Assessor Legislativo Enrico Ribeiro pela Queiroz Assessoria Parlamentar, definiu formas de atuação da Fenajufe durante a próxima semana na Câmara dos Deputados, com o objetivo de barrar a votação da reforma da Previdência.  

A avaliação é que além das mobilizações em Brasília, torna-se de extrema importância que a pressão seja exercida ao máximo e constantemente nos estados, nas bases eleitorais dos deputados. Pela proximidade do ano eleitoral - 2018 - parlamentares com objetivo de reeleição estarão mais atentos e sensíveis aos clamores. Até mesmo aqueles que não intentam a disputa nas urnas tendem a ver com maior preocupação questões como a reforma da Previdência, por impactar diretamente os redutos eleitorais.

Já na Câmara dos deputados a disputa pelo voto será intensificada e contará com o reforço das delegações vindas dos estados, que atuarão em conjunto com a Fenajufe e outras entidades, bem como os movimentos sociais. O momento requer atenção máxima dos trabalhadores do PJU e MPU: nunca os servidores estiveram tão ameaçados e o conjunto de direitos dos cidadãos foi tão saqueado em toda a história da República.

Reforço nas orientações

Diante do cenário de deterioração de direitos patrocinado pelo governo, Congresso Nacional e STF, subjugados pelo alto empresariado e setor financeiro, a Fenajufe orienta os sindicatos de base a enviarem caravanas a Brasília para atuar no Congresso Nacional entre a segunda-feira, 11, e a quarta-feira, 13, para pressionar os parlamentares.

Nos estados, a orientação é pressionar e atuar  sobre os escritórios políticos, residências de deputados e senadores e exigir posicionamento público. Aos parlamentares que declararem voto contrário à reforma, tentar fazer o registro em vídeo e o deputado empunhando placas e faixas contra a PEC.

Às assessorias de imprensa dos sindicatos de base a Fenajufe orienta monitoramento constante a matérias locais em favor das reformas, tentando "cavar" o contraditório nas matérias, seja impresso, web, rádio ou TV.

O momento é de pressão. Nas redes sociais compartilhem vídeos (AQUI o da Fenajufe; NESTE o do Sindiquinze e Sisejufe e  ESTE do Sintrajud) contra a reforma e reforcem a mensagem: quem votar pela reforma, não volta!