Fenajufe - Assembleia da Classe Trabalhadora dispara luta contra Previdência predadora de Bolsonaro

Assembleia da Classe Trabalhadora dispara luta contra Previdência predadora de Bolsonaro

Cerca de 10 mil trabalhadores participaram nesta quarta-feira, 20, da Assembleia Nacional da Classe Trabalhadora em Defesa da Previdência Pública e Contra o Fim da Aposentadoria, realizada na Praça da Sé, em São Paulo. A Fenajufe esteve presente com os coordenadores Adilson Rodrigues, Cristiano Moreira, Gláucio Luiz, José Aristéia, Mara Weber e Saulo Arcangeli. Presença também de Delegações de vários sindicatos do PJU e MPU, que fortaleceram o Dia de Luta da Classe Trabalhadora.

Convocado pelas Centrais Sindicais, o ato foi o pontapé inicial na resistência que vai barrar a reforma da Previdência elaborada pelo mercado e aos cuidados do governo Bolsonaro. Uma reforma extremamente predadora dos direitos para trabalhadores, tanto do setor público quanto da iniciativa privada.

Dentre os absurdos propostos, a reforma pretendida pelo governo estabelece  idade mínima de aposentadoria para mulheres em 62 anos e, para homens, 65, e extingue aposentadoria por tempo de serviço. Na aposentadoria rural a idade é de 60 anos para homens e mulheres.

A reforma retira ainda capacidade de manutenção da qualidade de vida de idosos ao reduzir a pensão por morte em 50% e proibir o acumulo de benefícios.

Servidores públicos também foram muito penalizados. Aqueles que entraram no serviço público a partir de 2004, pedem a integralidade e a paridade garantida a alguns segmentos.

Greve Geral

Na assembleia foi deliberado ainda o calendário de lutas da classe trabalhadora contra a reforma da Previdência e o fim da aposentadoria. A jornada de lutas – que também se estende pelos estados com mobilizações e atos – convoca para o 8 de Março, Dia Internacional da Mulher, e o 1º de Maio, Dia do Trabalhador,  a realização de grandes atos unitários, conforme resolução aprovada na Assembleia Nacional (leia o manifesta ao final da notícia). O objetivo é fortalecer a unidade e construir a greve geral para barrar o avanço da reforma.

As centrais voltam a se reunir na terça-feira, 26, no DIEESE para avaliar a proposta de reforma entregue pelo governo ao Congresso Nacional. Uma agenda conjunta deve ser definida para orientar as ações na luta contra a proposta do governo.

Mais uma vez a Fenajufe reforça a orientação aos sindicatos de base que busquem fortalecer os fóruns regionais dos Servidores Públicos e organizá-lo onde ainda não estejam estruturados. A Federação alerta que o período será de atividade intensa na defesa de direitos o que vai exigir grande capacidade de mobilização das entidades com o objetivo de sensibilizar os trabalhadores quanto aos riscos que o momento político impõe.

Manifesto dos Trabalhadores contra a reforma da Previdência