Nota de Repúdio às declarações do ministro Paulo Guedes à Comissão Especial da Reforma da Previdência em 8 de abril de 2019

Nota de Repúdio às declarações do ministro Paulo Guedes à Comissão Especial da Reforma da Previdência em 8 de abril de 2019

A Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário Federal e Ministério Público da União – Fenajufe – vem a público REPUDIAR as declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes, em audiência na Comissão Especial da Reforma da Previdência na Câmara dos Deputados, na quarta-feira, 8. 

Segundo o ministro, "o funcionalismo público não é culpado, mas também não é inocente. A função deles é tomar conta das coisas públicas. Como teve desvio, roubalheira? Cadê a turma que tinha que tomar conta disso?", numa clara tentativa de vincular o segmento aos casos de desvio nos cofres públicos.

Ao creditar aos servidores públicos a responsabilidade pelo problema criado com anistias fiscais, isenções previdenciárias e sonegações permitidas, Guedes expõe total desconhecimento do que seja e como funciona o serviço público.

O ministro traz à tona, ainda, seu total desprezo pelo setor responsável por garantir aos cidadãos, o exercício da cidadania. Desprezo materializado por um governo empenhado no desmonte dos Serviços Públicos, agravado pela EC-95 e pelos drásticos cortes orçamentários que implicam na redução da oferta de serviços aos cidadãos e o sucateamento do Judiciário, inclusive e principalmente, da Justiça do Trabalho, que tem como principal característica o amparo aos direitos sociais das Trabalhadoras e dos Trabalhadores.

O jogo do ministro, com declarações desta natureza, tem por objetivo confundir a opinião pública e desacreditar os Servidores e Servidoras junto à população que mais depende da atuação desta categoria. É mais um episódio lamentável, fruto da obsessão do ministro em acabar com os serviços públicos, com o objetivo claro de diminuição do Estado e a sua inconsequente substituição pela iniciativa privada, para atender o projeto desse governo.

É preciso esclarecer que o governo se apoia em falsos argumentos para tentar aprovar a reforma da previdência, o que significa, na prática, a destruição do sistema de seguridade.

A Fenajufe reitera o REPÚDIO PÚBLICO à postura inepta do ministro Guedes e reafirma a defesa da valorização dos Servidores e Servidoras Públicos, bem como dos Serviços Públicos, como única forma de garantir a equidade e plenitude no exercício da Cidadania.

Brasília-DF, 9 de maio de 2019.

FenajufeFederação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário federal e Ministério Público da União