Reunião do Fonasefe aponta urgência na defesa do Serviço Público

Reunião do Fonasefe aponta urgência na defesa do Serviço Público

 

 

 

Entidades integrantes do Fórum Nacional dos Servidores Públicos Federais – Fonasefe – estiveram reunidas na quarta-feira, 25, em Brasília. O objetivo foi discutir, além da luta contra a reforma da Previdência, a premente necessidade de fortalecer o serviço público ante os constantes ataques que o Planalto, Congresso Nacional e Judiciário têm empreendido contra o funcionalismo.

Pela Fenajufe, participaram os coordenadores Erlon Sampaio e Fabiano dos Santos, além das delegações dos estados que atenderam à convocação da Fenajufe para a semana de luta em Brasília.

Mais uma vez, os relatos sobre o desmonte do setor público no Brasil foram impressionantes e mostraram a acelerada escalada de retrocessos vivido pelo país em diversos segmentos. As entidades foram unânimes ao reafirmar a necessidade de união na luta em defesa dos direitos dos trabalhadores, tanto do serviço público quanto da iniciativa privada.

Diante da urgência que o tema exige, foi retomada a construção de Reunião Ampliada com Seminário em defesa do Serviço Público e Reorganização Sindical que havia sido adiado. O mês de novembro foi aprovado como possível data de realização.

Na reunião discutiu-se ainda a participação das entidades no lançamento de uma nova Frente Parlamentar em Defesa do Serviço Público. A nova Frente será lançada dia 23 de outubro no auditório Nereu Ramos da Câmara Federal, às 9 horas e foi indicada a participação de todas as entidades, buscando, inclusive, levar o debate da urgência de mobilização popular em defesa dos serviços públicos.

Como encaminhamentos deliberados, restou definido acompanhar o calendário de atividades do período, proposto pelas Centrais Sindicais e intensificar a pressão sobre o parlamento, acompanhando o calendário de tramitação da reforma da Previdência no Senado, inclusive reforçando a necessidade de caravanas a Brasília.

O calendário de atividades do período ficou assim estabelecido:

- 02 e 03/10 - Paralisação de 48 horas nas universidades - nos Estados;
- 04/10 - Mobilização nas ruas pelo direito à Educação Pública de qualidade - nos Estados;
- Intensificar o envio de caravanas à Brasília na semana de tramitação da PEC 06/2019.

O Fórum volta a se reunir na quarta-feira, 2 de outubro, às 16 horas, na sede do Andes.