Governo é derrotado na CCJ e votação da Reforma da Previdência é adiada

Governo é derrotado na CCJ e votação da Reforma da Previdência é adiada

A luta contra a impiedosa Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da reforma da Previdência – PEC 6/2019 continua firme e mobilizando trabalhadores, sindicatos e oposição no Congresso Nacional. A mais nova derrota do governo ocorreu nesta quarta-feira (17) depois que o presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, deputado Felipe Francischini (PSL-PR), confirmou que a votação ficará para a próxima semana por falta de acordo na sessão.

Como resultado da pressão exercida pelos trabalhadores em conjunto com as entidades representativas da categoria e em meio a um sinal claro da falta de articulação da ala governista na CCJ, o relator, deputado Delegado Marcelo Freitas (PSL-MG), pediu para fazer alterações na PEC. No acordo com deputados da oposição e do centrão, estão previstas algumas mudanças no texto onde cita a aposentadoria rural, FGTS e abono salarial, capitalização, desconstitucionalização da Previdência e BPC, por exemplo.

Nesta manhã, os coordenadores da Fenajufe Adilson Rodrigues e Saulo Costa estiveram na articulação dentro do Congresso. No intervalo da sessão da CCJ, o coordenador-geral Adilson Rodrigues conversou com os deputados Alessandro Molon (PSB-RJ) e Ivan Valente (PSOL-SP). Os parlamentares alertaram sobre as manobras do governo e reforçaram a necessidade de mobilização para barrar o avanço da reforma na próxima semana.

Também estiveram presentes no trabalho de convencimento, representações de entidades da base como o Sindjus (DF), Sitraemg (MG) e Sintrajufe (RS).