Fenajufe - Terça-feira de pressão no Congresso contra reforma da Previdência

Terça-feira de pressão no Congresso contra reforma da Previdência

Dirigentes da Fenajufe e sindicatos da base na defesa dos servidores públicos, também, no Senado

 

Em semana decisiva contra a reforma da Previdência (PEC 6/2019), a Fenajufe e sindicatos da base continuam, nesta terça-feira (2), os trabalhos e pressão sobre os parlamentares. A semana promete ser decisiva e de extensa agenda a ser cumprida pelos coordenadores. A Federação manteve na tarde dessa segunda (1) e nesta manhã, o trabalho no Aeroporto Internacional de Brasília com faixas e cartazes para cobrar e pressionar os parlamentares a votarem contra a PEC.

No Congresso Nacional, as atividades começaram cedo. Dirigentes da Federação e delegações dos sindicatos entregaram nota técnica e carta dirigida aos parlamentares. O material reforça os argumentos contra a reforma proposta por Jair Bolsonaro e Paulo Guedes. A coordenadora da Auditoria Cidadã da Dívida, Maria Lúcia Fattorelli, denunciou acordo sendo costurado entre o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM/RJ) e governadores, negociando aprovação da reforma tendo como moeda de troca, a securitização dos créditos públicos (PLP 459/2017).

A comissão especial da Câmara que analisa a proposta deve se reunir às 16h30. Nesse horário, também está marcada reunião com o Chefe de Gabinete Rodrigo Rios da liderança do Solidariedade.

Já no Senado, os coordenadores da Fenajufe Costa Neto, Evilásio Dantas, Fernando Freitas e Roniel Andrade e sindicatos da base acompanharam, na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado, audiência pública para discutir o Projeto de Lei do Senado (PLS) 116/2017, que prevê a perda do cargo público por insuficiência de desempenho do servidor público estável.

Mobilização

No que depender da Fenajufe e dos servidores do PJU e MPU, não será tão fácil assim para o governo e seus aliados na Câmara dos Deputados. Com as centrais sindicais, movimentos sociais e demais entidades dos trabalhadores, a semana será de pressão intensa no parlamento. Os trabalhadores – tanto da iniciativa privada quanto do serviço público – não estão dispostos a perder direitos, sem lutar por eles.

Sindicatos da base e dirigentes da Fenajufe estão desde ontem em Brasília para buscar o voto contra a reforma. A pressão continuará ao longo da semana e estará presente também nos redutos eleitorais dos parlamentares. 2020 é ano de eleição municipal e hora de cobrar dos aliados políticos dos parlamentares, posição em defesa dos trabalhadores e trabalhadoras.