Sexta-feira (12) é ato na Esplanada e 2º turno da reforma da Previdência Câmara

Sexta-feira (12) é ato na Esplanada e 2º turno da reforma da Previdência Câmara

Depois de lançar mão de uma das práticas mais antigas da política (contrariando o discurso de "nova política" alardeado na campanha eleitoral), o governo liberou R$ 2,5 bilhões em emendas conseguindo, assim, a aprovação do texto base da reforma da Previdência em 1º turno, na noite dessa quarta-feira (10). Por 379 votos a 131, os deputados começaram o processo de destruição da Previdência Social liderados pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) - que continua atacando os servidores públicos.

Entre as discrepâncias, o texto estabelece idade mínima de 65 anos para homens e 62 para mulheres; aumenta o tempo para se aposentar (mínimo de 20 anos para homens e 15 para mulheres na iniciativa privada e 25 anos para ambos no serviço público) prejudicando milhões de trabalhadoras e trabalhadores; limita o benefício à média de todos os salários (inclusive os mais baixos) e eleva as alíquotas de contribuição.

Dia nacional de luta contra a PEC 6/2019

Amanhã acontece o dia nacional de luta - convocado pelas centrais - para pressionar o parlamento contra a PEC 6/2019. Em Brasília, a concentração vai acontecer no Museu da República, na Esplanada dos Ministérios, às 10h e deve coincidir com a votação em 2º turno.

E, apesar da aparente derrota sofrida no Plenário da Câmara, a luta precisa do apoio de todos os setores da sociedade. De todos os trabalhadores e trabalhadoras. A necessidade de unir forças e ocupar espaços: cobrar os parlamentares em suas bases eleitorais, pressionar nos aeroportos, colocar cartazes dos que são a favor da reforma e, assim, reforçar a insatisfação contra a proposta.

Sabendo da importância desta semana de esforço concentrado e plantão ampliado na luta contra a PEC 6/2019, a Fenajufe convocou os sindicatos filiados e a batalha contra a reforma foi intensificada, principalmente no Congresso Nacional. Os coordenadores da Fenajufe participaram ativamente das agendas da semana: desde a cobrança aos parlamentares no Aeroporto Internacional de Brasília, audiências no Congresso até articulação corpo a corpo junto aos deputados e senadores na busca de mudança de votos.

Ato na Câmara

A Federação esteve no ato convocado pelas entidades nacionais que compõem o Fórum dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe) em frente ao anexo II. Dentro e fora da Câmara dos Deputados, as coordenadoras Elcimara Souza, Juscileide Maria Kliemaschewsk e Lucena Pacheco Martins e os coordenadores Costa Neto, Cristiano Moreira, Epitácio Junior, Erlon Sampaio, Evilásio Dantas, Fabiano dos Santos, Fernando Freitas, José Aristeia, Leopoldo de Lima, Roberto Policarpo e Roniel Andrade, juntamente com dirigentes de sindicatos e servidores das bases, se alternavam entre a manifestação e a articulação com os parlamentares.

A Fenajufe reitera aos sindicatos da base que intensifiquem a pressão sobre os parlamentares em seus redutos eleitorais e orienta atuação conjunta com outras entidades locais e movimentos sociais.

 

Raphael de Araújo, a serviço da Fenajufe

Fotos: Joana Darc Melo