30 mil na Esplanada provam que luta contra destruição da Previdência e Educação está apenas no começo

30 mil na Esplanada provam que luta contra destruição da Previdência e Educação está apenas no começo

Enquanto a mídia tradicional preferiu focar em congestionamentos ou em imagens que pudessem dar um tom negativo à manifestação, o que se viu na Esplanada dos Ministérios foi surpreendente e belo. Cerca de 30 mil estudantes, professores, trabalhadores - tanto da iniciativa privada quanto do serviço público - entidades sindicais e movimentos sociais tomaram posse de Brasília empunhando faixas, cartazes e levando brados de ordem contra o desmonte da Educação e a destruição da Previdência Social. O texto base da PEC 6/2019 foi aprovado no Plenário da Câmara dos Deputados na quarta-feira (10) e a base do governo tenta concluir a votação em segundo turno até 18 de julho.

A manifestação começou com a concentração em frente ao Museu da República e, de lá, deslocou-se em marcha até o Congresso Nacional. Pela Fenajufe, participaram os coordenadores Costa Neto, Elcimara Souza, Evilásio Dantas, Fabiano dos Santos, Fernando Freitas, Roberto Policarpo e Roniel Andrade. Pela base, presença do Sindjus-DF, Sintrajud-SP e Sindjuf/PA-AP.

Ao mesmo tempo em que na Câmara os deputados continuavam traindo os trabalhadores na votação dos destaques - e o governo perdido, hora dizendo que vota dia 18 de julho, hora em 6 de agosto, o segundo turno da reforma - do lado de fora os manifestantes lutavam bravamente e, resistentes, declaravam não aceitar os sucessivos ataques do governo aos estudantes, funcionalismo público e à classe trabalhadora.

Provaram que, mesmo com a possível ida da reforma da Previdência ao Senado, a luta contra a PEC está apenas no começo. A Fenajufe reitera aos sindicatos da base que intensifiquem a pressão sobre os parlamentares em seus redutos eleitorais e orienta atuação conjunta com outras entidades locais e movimentos sociais.

Confira as imagens da manifestação, no registro de Joana Darc Melo (Fenajufe):

 

Raphael de Araújo, a serviço da Fenajufe