Servidores da PR de Alagoas reforçam greve nacional

Servidores da PR de Alagoas reforçam greve nacional

Coordenador esclarece que governo pode negociar PCS mesmo após prazo limite da LOA

A greve dos servidores de Alagoas conta com a participação dos servidores da Procuradoria da República. A informação foi repassada pelo coordenador Jurídico do Sindjus-AL, Paulo Falcão, durante ato público em frente ao prédio das Varas do Trabalho, em Maceió, nesta terça-feira (28). A adesão ao movimento fortalece a luta contra o congelamento de salário e pela aprovação dos projetos.

Na manifestação, o sindicalista esclareceu que o governo Dilma pode negociar a dotação orçamentária para revisão do Plano de Cargos e Salários mesmo após o prazo limite de 31 de agosto para inclusão de reajuste salarial na Lei Orçamentária Anual 2013. Falcão destacou que o Executivo pode alterar o texto do Orçamento após tê-lo enviado ao Congresso.

Protesto

Na atividade de greve, o servidor do TRT Marcos Soares afirmou que a luta não é contra o PT ou contra o governo Dilma, mas contra o sistema financeiro que explora os trabalhadores. Para ele, independentemente de quem esteja no poder, sempre haverá a disputa entre os trabalhadores e a classe dominante.

O servidor do TRE José Valterno iniciou sua explanação com letra da música de Cazuza: " Ideologia! Eu quero uma pra viver" ao questionar a indiferença dos servidores que não aderiram ao movimento grevista. "Se a classe trabalhadora compreender que a classe dominante não possui 10% da sua força, tudo seria diferente". Ele questionou o sistema capitalista em que o trabalhador produz, mas não usufrui dessa produção. "Quem só se beneficia da riqueza é a classe dominante". O servidor defendeu que os meios de comunicação contribuem para essa letargia da classe trabalhadora, que é seduzida ao consumo e ao shopping center.

Para a integrante do grupo Mulheres em Luta Laís Goes, o governo Dilma usa a crise econômica para conceder incentivos fiscais aos empresários. "Isso significa que os trabalhadores irão pagar pela crise. O que adianta as isenções fiscais se, ao mesmo tempo, os trabalhadores sofrem com o arrocho salarial, com as precarizações e as demissões", indagou.

A integrante da Assembleia Nacional dos Estudantes Livres (Anel) Gabriela Costa saudou o Sindjus-AL pelo apoio às lutas dos estudantes. Ela destacou que os servidores estão resgatando a luta e a unidade da classe. A estudante informou sobre a mobilização nacional que visa o boicote à Globo, nesta terça-feira. Ela explicou que emissora está sempre contra as greves dos trabalhadores, contra as organizações classistas, mas favorável ao sistema financeiro.

A manifestação contou ainda com a participação dos oficiais avaliadores da Justiça Federal.

Ato unificado nesta quarta

Os servidores do Judiciário Federal decidiram realizar ato público junto aos servidores do Ministério Público Federal nesta quarta-feira (29). A concentração será em frente à Procuradoria da República, localizada no bairro do Farol, a partir das 12 horas. A categoria também mobilizará os servidores dos cartórios eleitorais para participarem da greve.

Fonte: Sindjus-AL

Foto: Josiane Calado/Sindjus-AL