SE VOTAR, NÃO VOLTA! Sindjufe/BA intensifica campanha contra a Reforma da Previdência

Sindjufe (BA)

Taiana Laiz Silva

 

"Ao contrário do que diz o Palácio do Planalto, a população ainda resiste à reforma da Previdência e questiona os números apresentados pelo governo para justificar a urgência da mudança no sistema. A afirmação é de deputados da própria base aliada do governo, que passaram as últimas semanas do recesso em contato mais intenso com o eleitorado. Eles admitem que essa pressão tende a pesar no voto caso o tema realmente seja colocado em votação no plenário da Câmara em fevereiro.”

Isso comprova o sucesso da MOBILIZAÇÃO PERMANENTE que o SINDJUFE-BA, demais sindicatos e Centrais, movimentos sociais, colegas e a população em geral tem feito desde novembro quando foi anunciada para dezembro/17 a votação da PEC 287, e logo em seguida remarcada, em claro recuo desse governo ilegítimo e sua troupe. Segundo esse mesmo jornal, Deputados contaram ao Jornal o Estadão que "não há como vender o ‘produto’ porque a população liga os escândalos de corrupção ao governo do presidente Michel Temer.” Até a dívida pública foi citada: Segundo José Carlos Araújo (PR/BA), seus eleitores acham que a reforma vem em forma de "conta" para o brasileiro pagar, ao invés de a União cobrar dos grandes devedores da Previdência. "O povo ainda não está convencido e a gente tem medo de ser execrado pelo eleitor.”  Ele afirmou que vem recebendo mensagens de texto de eleitores no celular recomendando que ele rejeite a proposta, sob risco de não ser reeleito em outubro se votar a favor da reforma. Ex-líder da bancada do PP, Eduardo da Fonte (PE) disse que eleitores estão questionando o quanto o País paga em juros e se o que o governo gasta com a dívida não seria suficiente para cobrir a Previdência: "O maior problema do Brasil é o que se paga de juros para rolar a dívida", comentou. Para o parlamentar, não há mais propaganda que faça o governo melhorar o conceito da população pernambucana sobre a reforma. "Não posso votar contra o meu eleitor", afirmou.

Fazendo o servidor de vilão

Um dos vice-líderes do governo na Câmara, o deputado Rogério Rosso (PSD-DF) disse que o Executivo errou ao produzir um texto inicial "muito duro" e ao eleger os servidores como foco dos privilégios que a nova Previdência pretende atacar. "O uso do servidor como algoz foi um tiro no pé", considerou. (Fonte: A TARDE, 23/01/2018)

O SINDJUFE-BA tem promovido diversas atividades de rua, tem participado de atos com outras Entidades, está na Rádio Metrópole (101.3 FM) no Programa do Trabalhador quinzenalmente, às 7h da manhã; tem confeccionado ADESIVOS DE CARRO (com a imagem em anexo); colocado Outdoor nas ruas primeiramente em Salvador e Feira de Santana; Esteve na Lavagem do Bonfim e estará no Carnaval na tradicional MUDANÇA DO GARCIA com o Bloco dos Lutadores; além de tentado construir uma CARAVANA a BSB no dia 19/02.

Tudo isso sem deixar de atuar nas demandas específicas dos órgãos.