AL: Trabalhadores dizem não à reforma da Previdência em Grande Ato Público

 

 

 

Os trabalhadores dos serviços público e privado participaram do Dia Nacional de Luta Contra a Reforma da Previdência, realizado pelas centrais sindicais, sindicatos e movimentos sociais na segunda-feira (19).

Centenas de pessoas, entre servidores públicos, policiais, estudantes, professores, bancários e populares participaram do protesto no Calçadão do Comércio em Maceió.

O Dia Nacional de Luta marcou também o lançamento da campanha salarial dos servidores públicos federais. O coordenador de Comunicação do Sindjus-AL, Alex Sandro Cardoso, ressalta a importância do protesto contra a ‘deforma’ da Previdência em alusão à reforma da Previdência que prejudica os direitos previdenciários dos trabalhadores. “O que sentimos é a falta de participação efetiva de mais trabalhadores. O número de pessoas ainda é ínfimo. Muitos trabalhadores deviam participar, tanto da iniciativa privada como do serviço público, mas ainda ficam nas redes sociais, no velho Facebook, no Whatsapp e sofá. Infelizmente, o governo está fazendo o que quer, e as pessoas ainda não colocaram a mão na consciência e refletiram sobre isso”.

Os trabalhadores manifestaram palavras de ordens contra a reforma da Previdência, e destacaram que o ‘vampirão’ Temer quer sugar os direitos previdenciários dos trabalhadores, deixando-os sem aposentadoria. Antes do ato no Centro de Maceió, trabalhadores também fizeram protesto no Aeroporto Zumbi dos Palmares.

A reforma da Previdência prejudica a aposentadoria dos trabalhadores, retirando a integralidade dos proventos, as idades mínimas para a aposentadori poderão ser alteradas sem necessidade de nova emenda constitucional. A proposta também limita os proventos até o teto do Regime Geral (INSS). A proposta exige 40 anos de contribuição para o trabalhador ter direito à integralidade. Exige 15 anos de trabalho aos trabalhadores rurais, idade mínima de 65 anos para homens e 62 para mulheres, com o mínimo de 15 anos de contribuição.

Tramitação suspensa
O ministro da Secretaria de Governo confirmou a suspensão da tramitação da PEC 287/16 da reforma da Previdência após a presidência decretar intervenção federal na cidade do Rio de Janeiro, diante dos sucessivos casos de violência.