Sintrajufe/RS repudia declaração de ministro Toffoli de que servidores querem "trabalhar pouco, ganhar bem e aposentar cedo"

Sintrajufe (RS)

Durante evento realizado na última semana, na Fundação Getúlio Vargas (FGV), em São Paulo, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli fez uma declaração que precisa ser repudiada pelo conjunto do funcionalismo público. O magistrado afirmou que os servidores públicos são "representantes da elite brasileira" e os comparou aos políticos das bancadas ruralista e evangélica do Congresso. Toffoli também afirmou que “o servidor público, por exemplo, quer trabalhar pouco, ganhar bem e aposentar cedo”, conforme reportagem do site Jota.

O Sintrajufe/RS repudia a declaração do ministro, que se utilizou de desinformação para difamar o funcionalismo público. A atitude de Toffoli é absurda, na medida em que o magistrado integra uma instituição que, assim como as demais instâncias do Judiciário, não existiria sem o trabalho e o empenho diário dos servidores.

Além de atacar os servidores do próprio Judiciário Federal, o ministro, mais uma vez, agride o conjunto do funcionalismo público e evidencia uma mentalidade das cúpulas dos Poderes que vem colocando em risco inclusive os serviços oferecidos à totalidade da população brasileira. Ao atacar os servidores, Toffoli se iguala a Temer e ataca o próprio serviço público, reforçando preconceitos que acabam por legitimar ondas de privatizações, de entrega do patrimônio público brasileiro aos ricos daqui e de outros países e de "reformas" que visam a precarização do serviço público.

É possível que Toffoli seja o próximo presidente do Supremo, e alguém nessa posição precisa manter uma postura minimamente respeitosa com os mais de 120 mil servidores da categoria. A valorização dos servidores é um dos grandes temas a serem enfrentados no próximo período, e é fundamental que seja outro o tipo de relação a ser mantido entre a Presidência do Supremo e os servidores. Uma das pautas com as quais certamente o próximo presidente irá se deparar é uma nova reposição salarial da categoria, que segue sob perdas salariais e sem qualquer perspectiva de reposição anual das perdas inflacionárias.

A postura que cabe à cúpula do Judiciário, na linha inversa à do ministro Toffoli, é justamente no sentido de reafirmar a importância do oferecimento de serviços públicos de qualidade à população, e a compreensão de que isso só pode acontecer com servidores devidamente valorizados. A incompreensão das cúpulas dos Poderes sobre esse papel nos leva a um caminho perigoso. Por essa razão, o Sintrajufe/RS manifesta seu total repúdio às declarações do ministro e provável futuro presidente do Supremo Tribunal Federal.