Fenajufe - Direção da Seção Sindical do SindMPU renuncia e aponta unificação da categoria com os servidores do Judiciário Federal, no Sintrajufe/RS

Direção da Seção Sindical do SindMPU renuncia e aponta unificação da categoria com os servidores do Judiciário Federal, no Sintrajufe/RS

 

 

 

Sintrajufe (RS)
 
A primeira semana de julho começou com um indicativo que pode fortalecer ainda mais a categoria dos trabalhadores do Judiciário Federal no Rio Grande do Sul: servidores do Ministério Público da União no RS estão defendendo que possam passar a fazer parte dos quadros do Sintrajufe/RS. A iniciativa vai ao encontro do que sempre foi um objetivo da atual direção, e pode gerar um sindicato ainda mais forte e maior capacidade para que nossas lutas obtenham conquistas. As portas para a unificação foram abertas pela renúncia, na segunda-feira, 2, da direção da Seção Sindical do Sindicato dos Trabalhadores do MPU (SindMPU) no RS.
 
"Entendemos que não há razão para que existam sindicatos distintos para o MPU e o PJU, pois as demandas de ambas as categorias acabam sendo as mesmas", diz carta de renúncia
 
Na carta de renúncia, a agora antiga gestão do SindMPU/RS aponta, justamente, para a unificação com os trabalhadores do Judiciário Federal, tendo o Sintrajufe/RS como a casa mais adequada para esse caminho. A nota lembra as estreitas relações entre a categoria do MPU no RS e a atual gestão do Sintrajufe/RS, afirmando que este "tem exercido uma atuação muito importante no cenário politico nacional, obtendo grandes conquistas, que, inclusive, não se restringem às categorias do PJU e do MPU, atingindo um espectro social muito maior". Explica, então, que a direção regional do SindMPU, a partir desse estreitamento de relações, retomou a ideia de unificação: "entendemos que não há razão para que existam sindicatos distintos para o MPU e o PJU, pois as demandas de ambas as categorias acabam sendo as mesmas, ressalvadas, por óbvio, as questões que dizem respeito aos respectivos órgãos e unidades, algo que, a propósito, não é diferente no âmbito do MPU, em face dos ramos existentes (MPF, MPT, MPM e MPDFT)" , diz a nota.
 
Assim, a nota destaca que ambas as categorias poderão ganhar com uma possível unificação: "consolidamos, então, a convicção que a categoria de servidores/as do MPU terá muitos benefícios com a unificação da representação sindical, o mesmo valendo para os/as colegas do PJU, pois assim teremos um sindicato forte e muito atuante, o que é fundamental, frente às demandas que estamos enfrentando e ainda teremos de enfrentar". Por isso, esclarece, a direção do SindMPU decidiu renunciar e trabalhar pela filiação dos colegas do MPU ao Sintrajufe/RS, o que poderá exigir também adaptações do próprio Sintrajufe/RS, tudo com o objetivo de tornar nossas lutas mais coesas e, assim, capazes de construir avanços.
 
O trabalho coletivo entre o Sintrajufe/RS e os servidores do MPU não é novidade. Em 2015, por exemplo, em meio às respectivas campanhas salariais – que contou, no caso do Judiciário Federal, com uma greve nacional de mais de cem dias, a maior da história – foram realizados atos conjuntos. Além disso, recorrentemente acontecem atos nacionais em que as categorias participam juntas, já que têm diversas características em comum, passando inclusive por remunerações e planos de carreira semelhantes. Já há outros estados em que trabalhadores do Judiciário Federal e do MPU estão unificados em apenas um sindicato, e, agora, essa possibilidade torna-se mais concreta também no Rio Grande do Sul.
 
Para o diretor do Sintrajufe/RS Cristiano Moreira, "a unificação com os trabalhadores do MPU é uma bandeira histórica da nossa categoria, já aprovada em diversos congressos e instâncias estaduais e nacionais. É algo que, se concretizado, fortalecerá ainda mais a nossa entidade e nos tornará ainda mais preparados para os desafios que, em grande parte, são comuns às duas categorias".
 
Também diretor do Sintrajufe/RS, Ruy Almeida elogia a posição dos colegas do SindMPU: "a renúncia dos colegas da direção local do SindMPU é um grande ato de coragem, pois os colegas abriram mão dos cargos em nome de um objetivo maior, que também é nosso, de fortalecer cada vez mais nossas lutas a partir da unidade. Esperamos poder concretizar essa pauta tão importante, com o apoio da nossa categoria".