Fenajufe - Sindjufe (BA) leva novo debate sobre saúde para servidores do TRE

Sindjufe (BA) leva novo debate sobre saúde para servidores do TRE

 

 

 

Sindjufe (BA) 

Mais uma vez, o SINDJUFE-BA retoma discussão sobre um tema bastante sensível aos trabalhadores da Justiça Eleitoral da Bahia: a saúde. 

O sindicato realizou na última quinta-feira (16), mais um debate sobre saúde para subsidiar os estudos sobre a possibilidade de se criar programa de Autogestão no Órgão, único do PJU na Bahia que não o possui. 

Para esclarecer, tirar dúvidas e discutir alternativas, o SINDJUFE-BA convidou José Sestelo (ABRASCO), André Liberato (TRT 5 Saúde) e Maria José Dantas (Plan-Assiste do MPU). A pedido de Servidores o CREMEB também foi convidado e veio representado pelo Médico Raimundo Pinheiro. A administração do Tribunal também foi convidada mas não se fez presente.

A coordenadora Denise Carneiro abriu o debate falando que a ideia inicial para o trabalho da Comissão eleita em assembleia era apenas estudar a viabilidade da criação de programa de Autogestão, mas as inúmeras queixas dos servidores sobre o tema levou à ampliação do escopo do estudo e atuação do sindicato. "é oportuno lembrar que a saúde do servidor é na maioria das vezes reflexo das condições de trabalho e relação laboral, e o elevado número de adoecimento acende um sinal de alerta de que esses dois aspectos podem não estar Indo bem no Órgão".

Pontos sobre a manutenção e preservação do SUS, questões do autocuidado e prevenção, corte de recursos para políticas sociais, e experiências com implantações de programas de autogestões em órgãos do setor público, foram alguns destaques do debate. Todos eles apontaram que sob o aspecto prático, a autogestão é a melhor solução para os trabalhadores do órgão que necessitam de assistência médico-hospitalar para si e seus dependentes, mas os desafios são muitos e todos os riscos precisam ser estudados e enfrentados. Outro aspecto que não pode ser desconsiderado foi o trazido por Sestelo: "saídas individuais são meros paliativos, que não sobreviverão sem o SUS. Por isso qualquer solução para saúde  passa necessariamente pela defesa do SUS". 

 

Comissão de Saúde

Tanto a colega Maria José do MPU (Plan-Assiste) quanto André do TRT 5 (TRT Saúde) se comprometeram em ajudar a Comissão de Saúde, criada na setorial passada, nos trabalhos e estudos para melhor atender aos servidores do TRE sobre os passos para avaliar a viabilidade de um Programa de Autogestão em Saúde. 

No evento foi distribuída as camisas pela manutenção da jornada de 6 horas e informado que na próxima QUARTA dia 22 haverá uma Assembleia no Órgão, chamada de ASSEMBLEIA DO BASTA, onde serão tratadas novas regramentos no órgão.

Após o encerramento foi servido um coffee-break e vários servidores vieram confraternizar e elogiar mais uma vez o sindicato pela atuação.  Os temas saúde e autogestão precisam ainda de mais discussões e  é preciso a consciência de que a saúde não pode ser tratada como mercadoria.