Sitraemg fará ato em BH na defesa dos direitos sociais, trabalhistas e previdenciários

Sitraemg fará ato em BH na defesa dos direitos sociais, trabalhistas e previdenciários

Centrais sindicais, sindicatos, associações, movimentos sociais e outras entidades, juntos, contra essa política do governo de retirada de direitos da população.

Sitraemg

 

O SITRAEMG convida todos os servidores do Judiciário Federal em Minas Gerais para o ato público que será realizado na próxima terça-feira (05/02), às 17 horas, na Praça Sete, em Belo Horizonte.

O ato está sendo organizado pelo Movimento em Defesa dos Direitos Sociais, Trabalhistas e Previdenciários e tem como pauta as seguintes bandeiras: em defesa do serviço público, do Ministério do Trabalho, do Ministério Público do Trabalho (MPT), da Justiça do Trabalho, dos direitos sociais e das estataiscontra a Reforma Previdenciária e a PEC 300/2016, e de protesto pelo crime ambiental e trabalhista de Brumadinho, ocorrido na última sexta-feira (25), com o rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão, da Vale, que já registrou, até a noite dessa quarta-feira (30), 99 mortes, 259 desaparecidos e destruição ambiental que envolve devastação de matas e poluição do rio Paraopeba e córregos da região, além de regiões ribeirinhas.

Panfleto

O Movimento em Defesa dos Direitos Sociais, Trabalhistas e Previdenciários envolve as centrais sindicais, sindicatos (incluindo o SITRAEMG), associações, movimentos sociais e outras entidades da sociedade civil. O objetivo do ato é pressionar os três poderes para que se voltem para a população e, assim, conseguir impedir que vá à frente essa pauta avassaladora de retirada de direitos sociais, trabalhistas e previdenciários, e contra o meio ambiente, que já vem de décadas e foi intensificada a partir do governo Temer. Temer fez de tudo para aprovar a reforma das reformas na Previdência, mas não conseguiu graças à forte pressão da classe trabalhadora. Mas uma outra pauta contra os trabalhadores vem, aos poucos, se concretizando: primeiro, com a aprovação da lei das terceirizações sem limites, depois da Reforma Trabalhista, no atual governo com a extinção do Ministério do Trabalho; e Bolsonaro também já anunciou que pretende acabar com a Justiça do Trabalho, o que abre ameaça, automaticamente, também ao fim do Ministério Público do Trabalho. E pouca gente tem conhecimento da PEC 300/2016, que, se aprovada, ferirá de morte o direito do trabalho e as leis trabalhistas, prevendo, entre outras perdas irreparáveis, o fim das férias e do 13º salário, e, por conseguinte, um esvaziamento ainda maior da Justiça do Trabalho.

Vislumbra-se, portanto, o desmonte total do serviço público e dos direitos sociais, trabalhistas e previdenciários.

Mais do que nunca é hora de reagir. Antes que seja tarde. Todos ao ato público da próxima terça-feira (05/02), às 17 horas, na Praça Sete, em BH.

IMG_6183 - Copia

Reunião do Movimento realizada na sede do SITRAEMG, no dia 24 de janeiro