Fenajufe - Sintrajufe/RS participa de Assembleia Nacional contra reforma da Previdência; entidades reafirmam calendário unificado de lutas

Sintrajufe/RS participa de Assembleia Nacional contra reforma da Previdência; entidades reafirmam calendário unificado de lutas

Por Sintrajufe-RS

Na manhã desta quarta-feira, 20, o Sintrajufe/RS se uniu a diversas entidades na Praça da Sé, em São Paulo, na Assembleia Nacional da Classe Trabalhadora em defesa da Previdência Social. O ato ocorreu na mesma data em que Jair Bolsonaro (PSL) foi ao Congresso entregar o projeto de reforma de Previdência aos parlamentares, que é mais agressiva que a de Michel Temer, com idade mínima de 62 anos para as mulheres e 65 para os homens, além de uma regime de capitalização privado. A aposentadoria por tempo de serviço está extinta.

O diretor Cristiano Moreira representou o sindicato no ato e defendeu uma mobilização massiva para barrar a reforma. “O dia de hoje é uma importante resposta. A gente conseguiu com muita luta barrar a reforma do Temer, com uma greve geral que parou esse país e é nesse sentido que a gente tem que trabalhar: aumentar a mobilização, incentivar todas as iniciativas nos estados e unificadas, caminhar para construir uma greve geral. Se a gente derrotou o Temer, podemos derrotar o governo corrupto do Bolsonaro e garantir nosso direito à aposentadoria”, avalia. Segundo o diretor, essa proposta representa um confisco da aposentadoria dos brasileiros.

Assembleia ratifica unidade e calendário de luta contra reforma

No ato, as entidades lembraram que a reforma da Previdência não é uma demanda popular e que atende aos interesses econômicos da elite. Além disso, também cobraram a fiscalização às empresas sonegadoras, cujo total desviado chega a R$ 450 bilhões, conforme o relatório final da CPI da Previdência. Divulgado em 2018, o relatório concluiu que a Previdência não é deficitária como o governo alega.

A mobilização desta quarta-feira, convocada pelas centrais sindicais, foi o primeiro grande ato unificado em 2019 contra os ataques de Jair Bolsonaro (PSL) aos trabalhadores e à sociedade brasileira. A Assembleia ratificou o calendário de luta unificado (com atos nos estados em 8 e 14 de março), acumulando forças para uma greve geral, assim como ocorreu na vitória contra a reforma da Previdência de Temer (MDB). Em 28 de abril de 2017, mais de 40 milhões foram às ruas na mobilização que ficou marcada como uma das maiores greves gerais do país, para lutar contras as reformas trabalhista e da Previdência de Michel Temer. Os trabalhadores voltaram a fazer história no dia 24 de maio do mesmo ano, quando mais de 150 mil pessoas marcharam na Esplanada dos Ministérios.

No dia 27 de janeiro, em Porto Alegre, ocorrerá ainda uma plenária de mobilização do Fórum Gaúcho em Defesa da Previdência, do qual o Sintrajufe/RS é um dos integrantes, no auditório do Cpers (avenida Alberto Bins, 480), às 18h. No dia 8 de março, Dia Internacional da mulher, trabalhadores voltarão às ruas em atos convocados em todos os estados.

Confira nesta matéria do Sintrajufe/RS os pontos da proposta que mais atacam os servidores públicos.