Fenajufe - Sindjus realizará assembleia geral para a categoria decidir sobre a greve geral

Sindjus realizará assembleia geral para a categoria decidir sobre a greve geral

O Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário Federal em Alagoas (Sindjus-AL) realizará assembleia geral, no dia 4 de junho, em frente ao prédio das Varas do Trabalho, às 9 horas, para a categoria decidir sobre a greve geral, contra a reforma da Previdência.

Para a mobilização, o Sindjus-AL realiza assembleias setoriais nos tribunais. No Fórum Eleitoral, os servidores já decidiram pela participação na greve geral. A coordenação do sindicato também já visitou os servidores do Tribunal Regional Eleitoral, convocando-os à assembleia geral.

Nesta terça-feira (28), ocorrerá assembleia setorial no Tribunal Regional do Trabalho, às 9 horas. A coordenação do Sindjus-AL dará informes sobre a mobilização pela data-base, julgamento dos quintos, Emenda Constitucional 95, que congela os investimentos públicos, projeto de lei de redução da jornada de trabalho com a redução salarial. O Sindicato convoca a categoria para assembleia geral que definirá a deflagração para a greve geral.

Na próxima quinta-feira (30), o Sindjus-AL realizará assembleia setorial na Justiça Federal, às 16 horas. O Sindjus-AL também está viabilizando a palestra do juiz federal Antônio Carvalho Araújo sobre a reforma da Previdência no prédio da Justiça Federal.

Nas assembleias setoriais, a coordenação do Sindjus-AL informa sobre a mobilização pela data-base, julgamento dos quintos, Emenda Constitucional 95, que congela os investimentos públicos, projeto de lei de redução da jornada de trabalho com a redução salarial, entre outros assuntos de interesse da categoria.

A coordenação do Sindjus-AL está alertando sobre a reforma da Previdência, PEC 06/2019, que retira a garantia da aposentadoria da Constituição Federal, aumenta o tempo de contribuição, acaba com a aposentadoria por tempo de contribuição, reduz a pensão por morte para 50% do valor do benefício, retira mais de R$ 1 trilhão da Previdência Social, subtraindo direitos dos trabalhadores e permite o sistema de capitalização, para pôr fim ao regime de repartição dos trabalhadores e a Seguridade Social. 

 

 28 de maio de 2019