Servidores do Judiciário Federal do RJ aprovam adesão à Greve Geral por maioria esmagadora

Servidores do Judiciário Federal do RJ aprovam adesão à Greve Geral por maioria esmagadora

Paralisação nacional, convocada pelas centrais sindicais, está marcada para o dia 14 de junho

Os servidores do Judiciário Federal do Estado do Rio de Janeiro aprovaram, nesta quarta-feira (5/6), em assembleia geral extraordinária, a adesão da categoria à greve geral do dia 14 de junho, que tem o objetivo de pressionar o governo Bolsonaro contra o desmantelamento da Previdência e denunciar a retirada de direitos . A paralisação nacional está sendo chamada pelas centrais sindicais e segue calendário de mobilizações da Fenajufe, aprovado no Plano Nacional de Lutas do 10° Congrejufe. A assembleia geral aconteceu em frente ao Foro da JF Rio Branco, Centro do Rio.

IMG-20190605-WA0010Todas as manifestações na assembleia foram a favor da Greve Geral. O presidente do Sisejufe, Valter Nogueira Alves, alertou que a proposta de reforma do governo Bolsonaro quer acabar com a Previdência Social e prejudicar o conjunto da população. O dirigente criticou firmente a capitalização. “Essa reforma não retira privilégios. Quer retirar privilégios? Taxem os bancos, as grandes fortunas, o lucro e não a produção. Quer cortar privilégios? Abram a caixa preta da Previdência, façam auditoria da dívida; porque quanto mais pagamos juros da dívida, mais ela cresce. A Previdência é o maior sistema de distribuição de renda que esse país tem. A gente está convocando os servidores do Judiciário Federal, mas também todos os trabalhadores e trabalhadoras desse país para estarem juntos no dia 14 de junho e lutar contra essa reforma”, afirmou Valter.

Também falaram a favor da adesão à greve geral os diretores do Sisejufe Mariana Liria, Lucas Costa e Ricardo de Azevedo e o servidor Sergio Feitosa. O servidor do TRE Leonardo Couto solicitou a inclusão de um adendo à proposta, para que o sindicato organize assembleias setoriais para conscientizar o funcionalismo sobre a importância da paralisação. Valter esclareceu que os dirigentes do sindicato já estão passando nos tribunais e foros da capital e do interior para esclarecimentos.

Na noite desta quarta-feira, haverá reunião do Conselho de Representantes. O principal objetivo do encontro é organizar a resistência contra a Reforma da Previdência e, com a aprovação da categoria, mobilizar os servidores de todo o estado para a Greve Geral.

Na capital do Rio de Janeiro, a concentração dos trabalhadores e trabalhadoras, estudantes, desempregados e aposentados será a partir das 15h, junto à Candelária.

IMG_1673IMG_1678IMG_1682

IMG_1668IMG_1686