Sindjus-DF se reúne com Anamatra para discutir pontos comuns e trabalho conjunto em defesa da Justiça do Trabalho e da Previdência Pública

Sindjus-DF se reúne com Anamatra para discutir pontos comuns e trabalho conjunto em defesa da Justiça do Trabalho e da Previdência Pública

 


Sinsdjus (DF)

Na tarde do dia 13 de junho (quinta-feira), os coordenadores do Sindjus-DF Costa Neto, Cledo Vieira e Roniel Andrade se reuniram com o Vice-presidente da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho – Anamatra, juiz Luiz Antonio Colussi, para tratar de pautas comuns entre as entidades e, em especial, do trabalho conjunto a ser desenvolvido em defesa da Justiça do Trabalho e da Previdência Pública.

Os coordenadores do Sindjus-DF apresentaram a diretoria da entidade e parabenizaram Luiz Colussi pela recente posse como vice-presidente da Anamatra. Destacaram, ainda, que Costa Neto e Roniel Andrade foram recentemente eleitos e empossados Coordenador-Geral e Coordenador de Comunicação da Fenajufe, respectivamente. Colussi recordou as várias vezes em que os dirigentes do Sindjus-DF e da Anamatra estiveram no Congresso realizando trabalho em defesa de pautas comuns e participando de audiências públicas nas comissões das duas casas.

Costa Neto, Cledo Vieira e Roniel Andrade destacaram a importância da Justiça do Trabalho para a sociedade na solução de conflitos e informaram todas as ações desenvolvidas pelo Sindjus-DF na defesa desse ramo especializado da justiça, como a realização de campanhas e participação efetiva em atos.

Debateu-se com muita preocupação o problema central do corte abrupto de verbas e da perseguição e ataques que a Justiça do Trabalho vem sofrendo ao longo dos últimos anos pelos governos, com a constante ameaça de extinção. Os cortes no orçamento têm asfixiado a Justiça do Trabalho e impactado diretamente na manutenção da sua estrutura, comprometendo sobremaneira seu funcionamento, eficiência e produtividade.

Cientes de que é preciso garantir mais verbas para a Justiça Trabalhista, o trabalho conjunto entre as entidades se faz essencial para impedir retrocessos e fortalecer o conceito de imprescindibilidade dessa justiça especializada à sociedade, cuja principal função é garantir a paz social.

Outra preocupação que foi compartilhada é a necessidade de participação das entidades no grupo de trabalho que vai atualizar os estudos acerca da padronização organizacional e de pessoal dos Órgãos da Justiça do Trabalho (Ato CSJT.GP N° 92/2019), de modo que devem requerer, com urgência, a participação das entidades para garantir o maior número possível de representantes na formulação desse estudo.

A reforma da Previdência e os reflexos nocivos sobre os servidores públicos, trabalhadores da iniciativa privada e a sociedade de um modo geral  foi mais um dos temas debatidos e se concluiu pela necessidade de atuação conjunta de todas as entidades da classe trabalhadora e da sociedade civil com vistas a impedir os retrocessos e os danos que a proposta do governo representa.

O Sindjus-DF e a Anamatra ficaram de realizar reuniões periódicas, objetivando compartilhar experiências, fortalecer as relações institucionais e dar consecução ao trabalho conjunto entre as duas entidades.