Sintrajuf-PE intensifica agenda de mobilização

Sintrajuf-PE intensifica agenda de mobilização

Sindicato de Pernambuco visitou órgãos do PJU, sindicatos parceiros e vai dialogar com parlamentares pernambucanos

Com foco na greve nacional do dia 18 de março, o Sintrajuf-PE segue promovendo uma agenda de visitações aos órgãos do Poder Judiciário da União (PJU). Um dos objetivos é detalhar e alertar sobre o desmonte do serviço público promovido pelo governo Bolsonaro e mobilizar a categoria a ir às ruas contra a agenda econômica do ministro Paulo Guedes.

O Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região (TRT6) e o Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) foram os primeiros órgãos visitados. Nas conversas, além do aumento da alíquota previdenciária e da Medida Provisória (MP) que permite a contratação de militares da reserva para cargos públicos, ambas em vigor, o Sintrajuf-PE tem enfatizado o que está por vir na reforma administrativa.

Entre as propostas da equipe econômica de Guedes estão a proibição de promoções e progressões exclusivamente por tempo de serviço, congelamento salarial, quebra da estabilidade e corte de benefícios e gratificações já incorporadas, tanto para ativos e como para inativos.

Um questionamento recorrente dos servidores versa sobre as ações sindicais para barrar essas intervenções governamentais. O presidente do Sintrajuf-PE, Manoel Gerson detalhou que o sindicato e a Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário Federal e MPU (Fenajufe) vão agir judicialmente nas questões relativas à reforma da Previdência.

Já no âmbito das mobilizações, o Sintrajuf-PE elaborou uma agenda de encontros com sindicatos de outras categorias afetadas pelas reformas. Já foram feitos dois encontros. A primeira visita foi ao Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Informática, Processamento de Dados e Tecnologia da Informação (Sindpd), em seguida a conversa foi com o Sindicato dos Bancários, ambos de Pernambuco.

Além disso, o Sintrajuf-PE vai buscar os parlamentares pernambucanos e pedir o voto contrário à reforma administrativa e a promoção de audiências públicas sobre o tema. Já está marcada uma reunião nesta quarta-feira (29), com o deputado federal Danilo Cabral (PSB-PE), um dos coordenadores da Frente Parlamentar Mista do Serviço Público.

Contudo, Manoel Gerson tem reforçado junto aos servidores que a melhor ferramenta de pressão ainda é o povo na rua. Segundo ele, a greve nacional do dia 18 de março precisa da ajuda de todos e deve ser forte para sensibilizar o Congresso e o Governo.