SPFs discutem pauta de reivindicações com governo

A sexta-feira 2 de março é um dia capital na campanha salarial dos servidores públicos federais (SPFs) de 2018. Ela marca o início da negociação acerca da pauta de reivindicações da categoria, apresentada ao Ministério do Planejamento em 19 de fevereiro.

A partir das 9 horas no Ministério do Planejamento, representantes das Entidades Nacionais dos SPFs - Fonasefe e do Fonacate – Fórum Nacional das Carreiras Típicasde Estado – vão reunir-se com o ministro Dyogo Oliveira para tratar da pauta de reivindicações apresentadas ao governo em 19 de fevereiro.

Para esta reunião, quatro eixos centrais foram definidos como prioridade para o início da discussão:

- Correção salarial com aplicação do índice de 25,63% (DIEESE);

- Extensão dos índices da Lei 13.464/2017 para todos os servidores públicos federais;

- Cumprimento de todos os acordos assinados em 2015 e

- Aplicação do valor de, no mínimo, 50% per capita da União para a manutenção dos planos de saúde dos servidores.

A estes quatro eixos serão acrescidos ainda

- Retirada da MP 805/17(descumprimento de acordos de reajustes e aumento da alíquota de desconto para a previdência de 11% para 14%) ;

- Retirada dos projetos PL 248 e PLS 116/17 que tratam da quebra da estabilidade do servidor público;

- Tratar do veto ao PL 3831/15(negociação coletiva);

- Inclusão imediata na folha de todos os servidores com mandato classista (art. 92) e pagamento dos salários com ônus para União, sem prejuízo das progressões e promoções na carreira e demais direitos trabalhistas para o servidor liberado.

O coordenador Saulo Arcangeli participa como representante da CSP-Conlutas, entidade com direito a fala na reunião.

Os preparativos para o negociação foram deliberados em reunião do Fonasefe e Fonacate nesta quinta-feira, com participação dos coordenadores da Fenajufe Cristiano Moreira, Julio Brito e Saulo Arcangeli.

Fotos: Philipe Moreira (Fenajufe)