Congresso expulsa delegado por manifestação de racismo

O 10º Congrejufe aprovou na tarde da segunda-feira (29), a expulsão de um delegado do Distrito Federal. O motivo foi a exposição de símbolo utilizado pelo Movimento de Supremacia Branca norte-americana na estampa da camiseta usada pelo participante.

Servidor do Ministério Público Federal do DF (MPDFT), Guilherme Luiz da Silva foi expulso do Congresso e deverá ressarcir a Federação pelas despesas, o que foi deliberado pelos Delegado(a)s, por ampla maioria. Pela proposta aprovada, a Diretoria Executiva da Federação também analisará as providências cabíveis quanto a medidas judiciais, nas esferas criminais, cíveis e administrativas, pela exposição do símbolo, a partir do entendimento do plenário, que este fere deliberações de instâncias da Federação, bem como direitos e garantias fundamentais previstos na Constituição Federal.

Durante as falas, participantes enfatizaram a importância da inclusão em pauta e discussão sobre as questões raciais durante a realização dos Congressos da Fenajufe. Outros pronunciamentos foram no sentido de que o delegado do Distrito Federal sempre causa divergências por apresentar manifestações racistas e contra os pleitos da categoria.

Diante das decisões do Congresso, o crachá do delegado foi imediatamente inutilizado como garantia da exclusão do 10º Congrejufe. 

Da redação do 10º Congrejufe, Caroline P. Colombo
Foto: Luciano Henrique de Carvalho, a serviço da Fenajufe

 

 

 

Pin It

Imprimir   Email