Governo federal ainda não leva a sério propagação do novo coronavírus

Bolsonaro tenta amenizar os efeitos da pandemia da COVID-19 e faz vista grossa sobre os reais efeitos da propagação do vírus no país

Mesmo diante da propagação em grande escala do novo coronavírus (COVID-19), o governo federal insiste em blefar e dizer que existe muito alarde e histeria por parte das autoridades sanitárias e de saúde do país. Embora tenha recebido uma enxurrada de críticas negativas da população nos últimos dias, em entrevista concedida a um programa de televisão na última quinta-feira (19), Bolsonaro fez questão de dizer que o país está fazendo alarde desnecessário diante da epidemia e que o Brasil “nem se compara à Itália” que já ultrapassou os casos de morte pelo novo coronavírus da China - onde começou a disseminação virótica.

 

A Fenajufe, com extrema preocupação com as servidoras e servidores dos órgãos do PJU e MPU, e classe trabalhadora, além de oficiar o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e os Tribunais Superiores para que suspendessem o expediente presencial, instituindo o trabalho remoto também expediu um comunicado aos sindicatos de base com a suspensão do calendário de atividades programadas para o ano de 2020.

O momento é de cautela e recolhimento. Tratar a pandemia como uma “ gripezinha” é irresponsabilidade com o compromisso feito à Nação. Brincar com a saúde da sociedade é banalizar uma das mais graves crises que o país enfrenta.

Os estados, municípios e o Distrito Federal decretaram normas sérias de prevenção determinando entre outras coisas, o fechamento de locais públicos, inclusive praias, comércios em geral, decretando ainda medidas de alcance às comunidades carentes com pouco acesso a higienização, água e esgoto.

Após divulgação indiscriminada de que o uso de hidroxicloroquina pudesse ser utilizado contra o coronavírus, o Ministério da Saúde afirmou que validou e autorizou o uso de hidroxiloroquina apenas em casos considerados graves e como último recurso até que as pesquisas apontem resultados positivos para a COVID -19. O medicamento é indicado para doenças autoimunes como lúpus eritematoso sistêmico, artrite reumatoide e outras com classificação crônicas e não deve ser adquirido por conta própria. O uso ainda está em testes e a Anvisa alerta para que a população não faça uso descontrolado do produto.

Até o fechamento desta matéria, casos de contágio pelo novo coronavírus no Brasil já contabilizam 1.965 infectados em todos os estados e 34 mortes. O momento é de disciplina e obediência às orientações das organizações de saúde. Não sair de casa.

Prevenção:

• lavar as mãos com água e sabão no mínimo três vezes ao dia;

• usar álcool em gel nas mãos e braços, e objetos como celular, maçanetas;

• usar máscara facial ao primeiro sintoma de gripe;

• não compartilhar objetos de uso pessoal;

• manter distância de um metro por pessoa;

• redobrar cuidados com idosos e crianças;

• manter-se em casa, o isolamento é a melhor forma de proteção contra o vírus.

• #não saia de casa!

Joana Darc Melo, da Fenajufe

 
Pin It