fbpx

banner tv fenajufe

banner radio fenajufe

banner tv fenajufe

banner fenacast

banner tv fenajufe

banner radio fenajufe

banner tv fenajufe

banner fenacast

Servidores do Judiciário Federal em Goiás decidem encerrar a greve

Em assembleias setoriais realizadas nesta segunda-feira (03), os servidores do Judiciário Federal em Goiás deliberaram pela suspensão da greve. No TRT, a categoria aprovou a contraproposta apresentada pelo presidente do STF, ministro Ayres Britto de aumentar a GAJ (Gratificação da Atividade Judiciária) de 50% para 100% em três parcelas a serem pagas nos meses de janeiro até 2015. O valor representa um aumento médio, ao final dos três anos, de 33% tabela salarial da categoria e altera apenas a GAJ. As demais parcelas da remuneração continuam congeladas, alterando os padrões da tabela 15 para 13.

Na Justiça Federal, os servidores rejeitaram a contraproposta do STF, defendendo a luta pela data-base dos servidores públicos federais, e deliberaram pela promoção de atos de mobilização em Goiânia e em Brasília, bem como acompanhar a tramitação Projeto de Lei 4363/2012 que dispõe sobre a inclusão dos recursos no Anexo V da Lei Orçamentária do exercício de 2013 para o reajuste da GAJ.

Na última assembleia setorial realizada na tarde dessa segunda-feira (03/09), os servidores do TRE-GO aceitaram a contraproposta do STF e, assim como os servidores das Justiças Trabalhista e Federal, deliberaram pelo fim da greve.

Luta pela melhoria da revisão salarial

Embora a categoria em Goiás tenha deliberado pelo encerramento do movimento paredista, os servidores do Judiciário Federal no estado mantiveram-se unânimes no posicionamento de lutar pela melhoria da contraproposta de revisão salarial. Segundo o Sinjufego-GO, apesar de a contraproposta do STF ter sido rejeitada apenas na assembleia setorial da Justiça Federal, ela tem gerado muitas dúvidas e questionamentos dos servidores sobre o futuro salarial da categoria.

Fonte: Sinjufego-GO

 

 

Pin It

afju fja fndc