Guedes, os servidores estão trabalhando para o país não parar

Sindjuf/SE

Mais uma vez, o nome do funcionalismo público circulou na boca suja de Paulo Guedes. Ele disse que o servidor “não vai ficar em casa, trancado com geladeira cheia, assistindo à crise, enquanto milhões de brasileiros estão perdendo emprego”. Para ele, temos que dar a nossa contribuição para o país nesta crise, que seria ficar sem aumento salarial por um ano e meio. Acontece que os servidores do Poder Judiciário Federal, assim como de tantas outras categorias, já estão sem aumento há muitos anos.

Sindjuf/SE: Gilberto, como servidor público e coordenador-geral do Sindjuf/SE, o que você pensa sobre essa declaração de Guedes que, como outras que ele faz, ataca os servidores públicos e, mesmo num momento de pandemia, insiste em responsabilizar os servidores pelos problemas do próprio governo?

Gilberto Melo: Neste governo, a pessoa encarregada de fazer esse papel é o Paulo Guedes. Tivemos pessoas desse tipo em outros governos e todos sempre usam o mesmo assunto, que é falar do Servidor Público. Paulo Guedes é um homem cretino. Aqui no Nordeste costumamos dizer que esse tipo de homem é um fuleiro, e um fuleiro significa tudo que não presta.

Certamente ele se sentirá privilegiado em ser chamado de fuleiro, mas como não consigo pensar algo pior, vou me contentar em chamá-lo de fuleiro.

Quando Guedes defende a redução de salário para a classe trabalhadora e informa que os servidores deveriam contribuir, ele quer dizer que o ideal seria que os servidores estivessem também com suas geladeiras vazias. Uma pessoa desse nível, que esteve sempre a serviço dos banqueiros, que já serviu inclusive a governos como o de Pinochet, não tem moral para falar de trabalhador.

Se o mesmo fosse um servidor, certamente já teria resolvido essa situação por que passa o nosso país, porque os servidores, assim como toda classe trabalhadora dessa nossa grande nação, são pessoas comprometidas com o nosso país, o que ele não é. Se ele fosse servidor, já teria feito uma auditoria no pagamento dessa dívida e já teria chegado à conclusão de que essa dívida já foi paga há muitos e muitos anos. Ele, inclusive, deveria apresentar uma relação das pessoas que recebem esses juros da dívida, que hoje representam mais de 01 trilhão e duzentos bilhões de reais, ou seja, 38% de tudo que arrecadamos.

Esse dinheiro deveria ser destinado à saúde, que há muito tempo vem sendo sucateada, deveria ser destinado à educação, na geração de empregos, mas como ele não é servidor e sim um fuleiro, um capacho, um capataz a serviço dos bilionários, ele não tem moral de falar dos servidores e quando falo dos servidores estou falando de toda a classe trabalhadora.

Gostaria que o mesmo apresentasse para o nosso povo como ele conseguiu a fortuna que tem. Como ele justifica ter trabalhado para um governo como o de Pinochet que, fazendo uma análise, tem as mesmas características do governo para o qual ele trabalha hoje. Ele deveria explicar o porquê de não cobrar imposto sobre as grandes fortunas, o porquê de não cobrar imposto sobre lucros e dividendos, o porquê de continuar abrindo mão de receita quando permite que haja uma renúncia fiscal em torno de 380 bilhões de reais por ano, deveria explicar o porquê de em plena pandemia, ter destinado aos bancos mais de 1 trilhão de reais enquanto o povo está desempregado e com suas geladeiras vazias há bastante tempo.

Na verdade, esse fuleiro tem como objetivo desviar a atenção do nosso povo para o que de fato está acontecendo nesse governo, que tem as mesmas características do governo Pinochet. Ele é o tipo de homem que se sujeita em levar seus conterrâneos à morte para continuar vivendo em berço esplêndido junto com sua família.

O cidadão não tem a obrigação de ter bons modos com uma pessoa como o Guedes. Ele pertence àquele grupo de pessoas sacanas que vendem a própria alma para continuar escravizando os demais, desde que ele e sua família continuem se dando bem. Pessoas sacanas como ele não merecem o respeito do nosso povo.

O objetivo do Guedes e de toda a corja da qual ele participa é desviar a atenção do que realmente acontece, de esconder a podridão desse governo do qual ele faz parte. Ele deveria ser homem e dizer para quem de fato ele trabalha. Nós sabemos, mas gostaria que ele tivesse dignidade e falasse. Esperar dignidade de um homem como o Guedes é acreditar em Papai Noel.

Pin It