Sindicato pede informações atualizadas aos Tribunais de Mato Grosso sobre a Covid-19 e medidas protetivas para os servidores

"Quantos servidores deste Tribunal, em Cuiabá e todo o Mato Grosso, estão com Covid-19 ou já tiveram a doença? Houve vítimas? Quantos estão hospitalizados e quantos estão em isolamento, se tratando? Que tipo de ajuda eles estão recebendo do Tribunal? Há servidores cujos pais  são idosos ... Qual é a recomendação ou o procedimento do Tribunal em relação aos cuidadores?" 

Estas e outras perguntas foram encaminhadas pelo SINDIJUFE-MT na manhã de hoje (15/06) aos tribunais do Judiciário Federal em Mato Grosso. Um dos objetivos é saber sobre os principais encaminhamentos das administrações a respeito da Covid-19, no sentido de preservar a saúde dos servidores.
No TRT23, há servidores e terceirizados trabalhando presencialmente por exercerem atividades que não são possíveis de serem executadas remotamente, como é o caso dos Oficiais de Justiça Avaliadores Federais. Mesmo com todos os cuidados e precauções, esses servidores acabam se expondo mais diretamente ao coronavírus, podendo espalhar a Covid-19 aos colegas e aos próprios familiares.

No TRE-MT, onde também havia servidores trabalhando presencialmente ainda que de vez em quando em razão da necessidade de suas atividades, teve um caso de infecção por coronavírus, segundo informações extraoficiais,  e o caso ligou o alerta sobre o perigo de contágio aos demais servidores. Depois disso, agora no TRE da capital não entra praticamente mais ninguém, por determinação da Presidência.  E a preocupação procede, pois a Secretaria de Saúde do Estado atestou, até a tarde desta segunda-feira (15),  6.390 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, com 223 óbitos.
Desse total, 3.485 estão em isolamento domiciliar e 2.386 estão recuperados. Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 177 internações em UTI e 190 em enfermaria. Isto é, a taxa de ocupação está em 75,9% para UTIs e em 23,3% para enfermarias.

No âmbito do TRE-MT,  as perspectivas não são nada animadoras. Tendo em vista as eleições, que dificilmente serão adiadas para 2021,  é certo que a Justiça Eleitoral terá que voltar ao trabalho presencial ainda antes da curva da Covid-19 começar a baixar. Este cenário iminente já preocupa a Diretoria do Sindicato, pois a volta ao trabalho presencial nessas condições pode ocasionar um aumento significativo de contágio, considerando que os servidores estarão, inevitavelmente, em contato com muitas pessoas todos os dias, e será muito difícil desinfectar os prédios para evitar infecções. Por isso o SINDIJUFE-MT quer saber como os tribunais estão se preparando para este momento. Não apenas o TRE, mas também o TRT e a Justiça Federal.

 

Luiz Perlato/SINDIJUFE-MT

Pin It