Comissão eleitoral é eleita em assembleia com mais de 500 sindicalizados de todo o estado

Com 541 votos válidos, categoria elegeu os três servidores que serão responsáveis por conduzir o processo eleitoral do Sintrajud, no colegiado composto também por representantes das chapas inscritas.

Shuellen Peixoto

Servidores do Judiciário Federal de todos os ramos e todas as regiões do estado de São Paulo elegeram a comissão que vai coordenar a eleição para a diretoria executiva e o conselho fiscal do Sintrajud na gestão que assumirá em agosto desse ano e até 2023. Em assembleia online, neste sábado, 18 de julho, com ampla participação da categoria, sindicalizadas e sindicalizados escolheram como representantes para conduzir o pleito os colegas Eduardo Galindo Pereira, do TRT-2, Daniel Paulo Correia de Souza, lotado no fórum de Execuções Fiscais, e José Carlos Sanches, da JF/Franca.

Confira a galeria de imagens

Logo no início da atividade, foi aberto espaço para integrantes das duas chapas inscritas apresentarem o que defendem como projeto para o Sindicato no próximo período, e para que os candidatos e a candidata à comissão apresentassem suas candidaturas.

A assembleia e votação aconteceram de maneira 100% digital e com segurança, em sistema auditável e com apuração imediata. Ao todo, 661 colegas se credenciaram e mais de 500 estiveram presentes à atividade. Foram coletados 541 votos de associados e associadas na primeira votação. Apesar da alta demanda, em um curto espaço de tempo, o sistema ajustou-se ao grande volume de acessos simultâneos.

A votação ocorreu após a apresentação dos 7 (sete) servidores candidatos à comissão. O resultado foi: Eduardo Pereira Galindo (312 votos), Daniel Paulo Correia de Souza (308 votos), José Carlos Sanches (288 votos), Sandra Tirlone (240 votos), Maycon Muniz (214 votos), Olizeo Tissi (205 votos) e Roberto Carlos da Silva (31 votos). Houve dois votos em branco. Em uma segunda votação, os servidores escolheram, entre os eleitos, Eduardo Galindo para presidir o colegiado.

“Estamos entrando neste desafio para ajudar no processo e garantir eleições com democracia e transparência. Contamos, inclusive, com a colaboração dos representantes das duas chapas neste processo. Obrigado a todos pela confiança, espero estar a altura do desafio”, afirmou Galindo à assembleia. “Neste momento, a melhor forma que encontrei de zelar o sindicato, que é um patrimônio da categoria, foi dando minha contribuição participando na comissão eleitoral. Espero que a chapa eleita consiga manter a defesa intransigente dos interesses da categoria, e pretendo proporcionar uma eleição com foco na transparência e na lisura”, concluiu.

Cada uma das chapas também deve indicar um dos seus membros para compor a comissão eleitoral, e ao final da assembleia as duas foram convocadas pela coordenação da mesa a faze-lo, como estabelece o parágrafo único do artigo 49 do estatuto do Sindicato e o edital de convocação das eleições, publicado em 18 de junho. A oficiala de justiça aposentada da Justiça Federal Ester Nogueira de Faria será a representante da chapa ‘Sempre em frente Sintrajud’. A chapa ‘Oposição Reconstrução’ não apresentou seu representante até o final dos trabalhos.

O processo seguiu estritamente o previsto no estatuto da entidade e embora entre os eleitos dois candidatos tenham declinado de concorrer à presidência da comissão, foi procedida a votação para cumprir o rito previsto no edital de convocação da eleição.

O Jurídico do Sintrajud acompanhou a assembleia, que teve seu resultado proclamado às 22h19, sem nenhum recurso aos resultados das votações, apresentado ao plenário e ainda com a presença de 135 pessoas. O advogado da chapa que se apresenta como oposição, Ronaldo Pagotto, também esteve presente à atividade.

Apenas um recurso para validação de um voto foi apresentado por um terceiro participante na atividade, mas a servidora, que não estava presente no momento da apuração, não constava em nenhuma das listas de credenciamento, publicadas no dia 13 e antes da assembleia deste sábado. De todo modo, seu voto não interferiria no resultado do processo.

Na opinião da diretoria do Sintrajud, a assembleia é um marco histórico, diante da pandemia de coronavírus. “Mesmo com as dificuldades de um período de crise sanitária, garantimos uma assembleia representativa, em um processo com muita segurança, onde foi possível identificar cada um dos participantes”, afirmou Fausta Camilo Fernandes, diretora do Sindicato que conduziu os trabalhos da assembleia e oficiala de justiça aposentada da Justiça Federal, antes lotada em Caraguatatuba.

A primeira reunião da comissão deve acontecer no início da próxima semana.

Confira abaixo o quadro das votações apresentado ao conjunto da assembleia:

Pin It