Sintrajufe/RS participa de faixaço e ato público contra a reforma administrativa, por vacina e pelo fim do governo Bolsonaro

O Sintrajufe/RS foi para a rua cedo na quarta-feira, 24. No Dia Nacional de Paralisação, data convocada pelas centrais sindicais, trabalhadores e trabalhadoras protestam contra a reforma, por vacina gratuita e pelo SUS, testagem, pelo auxílio emergencial de R$ 600,00 e pelo fim do governo Bolsonaro, o Sintrajufe/RS.

Nas ruas

Em uma ação conjunta com outros sindicatos e centrais sindicais, o Sintrajufe/RS participou de um “faixaço” nas primeiras horas da manhã. Em diversos pontos de Porto Alegre, foram colocadas faixas denunciando o governo Bolsonaro e a reforma administrativa e apontando pautas prioritárias para a população. O Sintrajufe/RS estendeu uma faixa em um viaduto da cidade com os seguintes dizeres: “Serviço público salva vidas / Privatização mata / Não à reforma administrativa! Vacina e testagem já! Auxílio de R$ 600! Mais empregos! / Fora Bolsonaro genocida!”.

No final da manhã, um ato simbólico em frente ao Palácio Piratini reuniu diversas categorias do funcionalismo público federal, estadual e municipal. O Sintrajufe/RS esteve representado por diretores e diretoras e por colegas da base da categoria. O sindicato também esteve presente em ato público no Vale Paranhana, com entidades sindicais da região. As atividades observaram as orientações das autoridades sanitárias.

Nas atividades, foi ressaltado que a reforma administrativa (PEC) é mais um engodo, apresentada como “modernização”, representa um retrocesso, ameaçando a realização de concursos públicos e a estabilidade, tirando do Estado suas obrigações com o atendimento à população e trazendo o clientelismo de volta como forma de contratação. Foi lembrado que, nesta semana, em que o Brasil vê ser empossado o quarto ministro da Saúde, o país atinge a marca de 300 mil mortos por Covid-19. A falta de ações eficazes do governo quanto à contenção da pandemia, o negacionismo, a falta de testagem, o atraso na vacinação, a demora e o valor irrisório pago como auxílio emergencial para as famílias. Por todas essas questões, é urgente e necessário o fim deste governo: fora, Bolsonaro!

Foi lembrado que, nesta semana, em que o Brasil vê ser empossado o quarto ministro da Saúde, o país atinge a marca de 300 mil mortos por Covid-19. A falta de ações eficazes do governo quanto à contenção da pandemia, o negacionismo, a falta de testagem, o atraso na vacinação, a demora e o valor irrisório pago como auxílio emergencial para as famílias. Por todas essas questões, é urgente e necessário o fim deste governo: fora, Bolsonaro!

Nas redes

O Sintrajufe/RS também atuou via internet na construção da mobilização e da conscientização da população sobre os prejuízos causados pela reforma administrativa e pelas demais ações do governo Bolsonaro. Durante a tarde, o sindicato promoveu a live “O futuro dos serviços públicos com a EC 109 e a reforma administrativa”. O painelista convidado foi o advogado e professor Marcos Rogério de Souza, mestre em Direito e assessor jurídico da liderança do PT no Senado. Veja AQUI como foi.

Mural virtual engaja colegas na mobilização

Ao longo de todo o dia, diretores, diretoras e colegas enviaram ao Sintrajufe/RS fotos e vídeos com cartazes que denunciam o governo Bolsonaro e a reforma administrativa. Essa mobilização virtual foi uma forma de, mesmo em meio à pandemia, todos e todas manifestarem sua indignação e sua disposição de luta frente ao difícil cenário nacional. O Sintrajufe/RS publicou algumas matérias e postagens no site e nas redes sociais do sindicato, e segue com publicações do mural nesta quinta-feira.

Pin It