banner tv fenajufe

banner radio fenajufe

banner tv fenajufe

banner fenacast

banner tv fenajufe

banner radio fenajufe

banner tv fenajufe

banner fenacast

Sindicatos

Com indicativo de greve, servidores do Rio elegem delegação à reunião ampliada e antecipam assembleia para o dia 22

Em assembleia geral realizada nesta terça (14), a categoria judiciária fluminense elegeu a delegação para a Marcha dos Servidores Públicos Federais (SPFs) que aconteceu em Brasília nesta quarta-feira (15), e que também representará o Rio na Reunião Ampliada da Fenajufe que acontecerá na quinta-feira (16). Cerca de 60 servidores e servidoras participaram da assembleia que reuniu servidores do TRF, das Justiças Federais da própria avenida Rio Branco, da Almirante Barroso e da avenida Venezuela, do TRF, do TRT e da Justiça Eleitoral. Sem polêmica, uma chapa de consenso foi aprovada pelos presentes.


Já a segunda proposta, levada à assembleia pelo Carlos Antônio Pereira de Almeida, da 136ª Zona Eleitoral, de São Gonçalo, dividiu opiniões. Carlos Antônio apresentou a ideia, discutida segunda-feira (13) em assembleia setorial do TRE de São Gonçalo, de que o Sisejufe produzisse camisetas pretas com as inscrições: “Eleição 100%. Reajuste 0%” para serem usadas durante as eleições de outubro, caso a categoria não esteja em greve.

O dirigente sindical Roberto Ponciano se contrapôs à proposta, afirmando que ela deixaria subentedido para o servidor do TRE que a categoria não teria condições de manter a greve, e que a greve seria substituída por uma camisa. “Estamos em agosto, a eleição será em outubro. Aprovar a ideia de uma camisa na possibilidade de não entrarmos em greve, para trabalharmos na eleição, é sinalizar para categoria que na época da eleição a gente vai trabalhar! Agora vamos referendar o 'fura-greve' uniformizado?!”, contestou Ponciano.

O dirigente também ponderou que esse tipo de proposta deve ser discutida após a instalação do Comando de Greve "porque durante um movimento paredista não existe a cisão entre sindicato e base – é o Comando de Greve que toma as decisões", destacou Ponciano. Como não houve consenso, a proposta foi posta em votação e a maioria dos filiados presentes decidiu rejeitar a decisão antecipada sobre a confecção das camisetas.

Indicativo de greve e nova assembleia

Com indicativo de greve, os servidores do judiciário federal e MPU do Rio de Janeiro decidiram antecipar a próxima assembleia da categoria, que estava marcada para o dia 24 de agosto, para o dia 22 de agosto, próxima quarta-feira. A assembleia geral será na quarta-feira, 22 de agosto, às 12h, em frente à JF da avenida Rio Branco.

“O momento é de luta e não podemos desanimar. Volto a dizer o que tenho dito desde o início de nossas mobilizações: a nossa luta, na atual conjuntura, não é apenas por aumento salarial. O que está em jogo é o nosso futuro enquanto servidor público. É importante termos essa consciência e que os outros companheiros que não se juntaram a nós desçam e participem", declara o servidor do TRT Sérgio Feitoza.

O diretor sindical Roberto Ponciano afirma que irá defender a greve na assembleia e alerta para a atual conjuntura, em que várias categorias do país estão paradas. “No momento em que a Central Única dos Trabalhadores coloca 20 mil pessoas em Brasília, coloca o governo na parede, denuncia o governo na OIT, diz que não vai aceitar mais um ano sem aumento; no momento em que estouram greves em todo o país – na Polícia Federal, na Polícia Rodoviária Federal, na Universidades, no IBGE, no INPI – eu nunca vou dizer à categoria: – Olha, não está satisfeito? Não quer fazer greve? Então tá tudo bem! O  momento é esse! Dia 31, o Orçamento vai ser definido e nós temos que estar em greve. Sem greve é que não teremos chance de aumento salarial!”, argumenta Ponciano. “Estamos há seis anos sem aumento, temos como trabalhar cada um e cada um e no dia 22 de agosto decretar a greve e fazer uma grande greve no Judiciário Federal”, completa.

Fonte: Sisejufe-RJ

Pin It

Nesta quarta-feira, tem assembleia estadual no TRE de São Paulo

Intensificar a mobilização na capital e no interior para impor o PCS na pauta do governo federal, são as orientações do Sintrajud-SP. Vamos nos unir com os demais servidores em greve em todo o país

Nesta quarta-feira (15/08) completa uma semana da greve por tempo indeterminado pelo PCS em São Paulo. Neste dia, os servidores realizarão uma assembleia estadual, logo mais às 14h, em frente à sede do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), na rua Francisca Miquelina

Nesse mesmo dia de manhã, o conjunto do funcionalismo realizou uma Marcha em Brasília contra a política de reajuste zero do governo Dilma Rousseff.

A greve nacional

Assim como nas 36 categorias do funcionalismo, a greve no Judiciário Federal vem crescendo em todo o país. Esta semana serão nove estados em greve por tempo indeterminado e com paralisações parciais de 24 e 48 horas.

Além dos docentes universitários, em greve desde 17 de maio, há outras categorias em greve, como os Policiais Federais e servidores da Receita Federal. Há exatos sete dias para fechar a proposta orçamentária de 2013, o governo tenta desmontar as mobilizações, segunda avalia o Sintrajud-SP.

A mobilização é tamanha que estão ganhou as capas dos principais jornais do país nos últimos dias. Na segunda-feira (13), o governo dizia estudar o quanto ‘poderia’ conceder de reajuste, mas os jornais econômicos afirmam que Dilma vai endurecer ainda mais com os servidores. “O fato é que o Planalto começou a sentir a pressão da greve do funcionalismo, a maior dos últimos 10 anos”, reforça o sindicato.

Fonte: Sintrajud-SP

 

 

Pin It

Terceiro dia da greve em Santa Catarina tem mais adesões

A greve iniciada na segunda-feira (13) em Santa Catarina tem nesta quarta (15) mais adesões na Justiça Federal, com a entrada dos servidores de Laguna e Tubarão no movimento. Nesta terça, já entraram em greve Florianópolis, onde ocorreu panfletagem na chegada dos servidores ao trabalho, Criciúma e Blumenau.

Em Joinville, houve paralisação de três horas em dois setores e participação parcial das outras Varas e de Oficiais de Justiça. Os servidores de Joaçaba decidiram paralisar as atividades durante duas horas diárias de quarta até sexta, reunindo ao final do dia para avaliar o movimento. Em Chapecó houve paralisação das 14 às 16 horas em dois setores, com adesão de um terceiro nesta quarta.

Segundo informações do Sintrajusc-SC, o movimento está com forte participação dos servidores do TRE. Já nesta quarta-feira os servidores da Justiça do Trabalho fazem paralisação de duas horas, das 15 às 17 horas, com reunião setorial para debater a forma de continuidade do movimento.

 Fonte:

 

Pin It

Servidores da JT da 15ª Região entram em greve no dia 20

A maioria dos 136 servidores que compareceram à rodada de assembleias, realizada nesta terça-feira (14) pelo Sindiquinze-SP, aprovou a realização da greve por tempo indeterminado a partir da próxima segunda-feira (20) pela aprovação do reajuste salarial da categoria.

A deliberação ocorreu, simultaneamente, no Fórum Trabalhista de Campinas e demais subsedes, onde os diretores do sindicato fizeram um breve histórico sobre a tramitação do PL 6613/2009, parado há dois anos na Comissão de Finanças e Tributação (CFT) da Câmara dos Deputados.

Em Campinas, o diretor Joaquim Castrillon, também coordenador da Fenajufe, relembrou que os servidores estão sem reajuste salarial desde 2006 e lutam pela aprovação do PCS há três anos. “Eu não vejo alternativa senão a greve para a conquista do reajuste”, enfatizou.

Com as palavras de ordem “PCS JÁ!, PCS JÁ!”, os participantes comemoraram a aprovação do movimento paredista a partir da próxima segunda-feira e destacaram que a greve na 15ª Região será construída para o fortalecimento das mobilizações dos servidores públicos que já ocorrem pelo país.

Legalidade do movimento

Como nas greves anteriores, a diretoria do Sindiquinze-SP informa que preza pela legalidade do movimento. Para cumprir o prazo legal de 72 horas de antecedência, o sindicato irá protocolar, nesta quarta (15), o comunicado ao TRT sobre a decisão da categoria de adesão ao movimento grevista pela aprovação do PCS.

Fonte: Sindiquinze-SP

 

 

Pin It

Servidores do Judiciário em Minas entram em greve por tempo indeterminado dia 20

Foto: Erinei Lima

Categoria cruzará os braços na próxima segunda-feira e percorrerá os tribunais conscientizando os colegas. Sindicato colocará pontos de apoio nos principais locais de trabalho na Capital

Reunidos em ato público e assembleia, que contou com quase 300 pessoas nesta terça-feira (14), na porta da Justiça Federal, em Belo Horizonte, os servidores do Poder Judiciário Federal em Minas deliberaram por greve por tempo indeterminado a partir de segunda-feira, dia 20. Segundo o Sitraemg-MG, a decisão da categoria é uma resposta ao “rolo compressor” do governo de Dilma Rousseff, que parece ter se esquecido de seu passado de luta contra a opressão do Estado para oprimir os trabalhadores em suas lutas por direitos – só o PL 6613/2009, que trata do reajuste da categoria, está parado na Comissão de Finanças e Tributação (CFT) há mais de dois anos.

Aos se dirigir aos servidores, Lúcia Bernardes deu informes sobre a movimentação em Brasília (onde o Sitraemg estará presente amanhã, dia 15, com uma caravana de 25 pessoas para representar Minas Gerais na Marcha Unificada dos Servidores), que deflagrou a greve dia 1º de agosto, e comentou a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), determinando a permanência de 80% dos servidores da Justiça Eleitoral em serviço durante a greve. “O comunicado diz que 80% precisam trabalhar – mas se os 20% restantes pararem, já teremos um efeito satisfatório”, disse Lúcia. O quadro nacional de greve, lido pelo coordenador Hélio Diogo, foi saudado com aplausos e apitaços. “Minas não pode ficar de fora (da greve), temos uma grande responsabilidade nessa luta”, disse o coordenador.

Além da greve, os servidores presentes decidiram formar grupos para fazer um trabalho de convencimento e corpo a corpo nos tribunais e já deixaram agendado novo Ato Público dia 21, terça-feira, também em frente à Justiça Federal (Avenida Álvares Cabral, 1741, Santo Agostinho – Belo Horizonte), de 12h às 14h. À frente do ato desta terça, estiveram os coordenadores-gerais do Sitraemg Hebe-Del Kader e Lúcia Maria Bernardes de Freitas e os coordenadores executivos Artalide Lopes, Débora Melo Mansur, Paulo Márcio Santos, Hélio Ferreira Diogo e José Francisco Rodrigues.

Hebe-Del Kader, coordenador do Sitraemg-MG, que também é membro da diretoria da Fenajufe, chamou a atenção dos servidores para a necessidade de mais “solidariedade entre os colegas na hora da luta”. “O colega que faz a greve está lutando pelos direitos de todos – então é justo que você (que não se mobiliza) pense nisso quando ele o chamar para participar”, aconselhou o sindicalista. Para alertar sobre a gravidade do momento que os servidores públicos federais atravessam, Hebe-Del lembrou o sucateamento da categoria dos bancários e da tentativa de desmonte da Polícia Federal, que também está em greve: “Nós carregamos essa Justiça nas costas, sem nós ela não funciona. Se não nos mexermos agora, ficaremos ‘sabe-se lá quantos anos’ sem reajuste”.

Já no dia 20, segunda-feira, quando começa oficialmente a greve em Minas, o Sitraemg estará presente na porta dos três principais prédios dos tribunais em Belo Horizonte com barracas onde os servidores poderão assinar a lista paralela de ponto, obter informações sobre a mobilização e terão à sua disposição materiais informativos do Sindicato. Aos servidores do interior, o sindicato orienta que estes devem fazer a mobilização e enviar informes e fotos ao Sindicato, para o e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Fonte: Sitraemg-MG

 

 

Pin It

Hoje tem twitaço dos servidores do Judiciário Federal do Rio Grande do Norte

Os servidores do Judiciário Federal do Rio Grande do Norte participam na noite desta terça-feira (14), no horário das 21 às 22 horas, do 2º Twitaço promovido pelo Sintrajurn-RN, em protesto contra a desvalorização do servidor público federal.

O objetivo do sindicato nesta mobilização pela rede social é deixar que o servidor apresente sua indignação, revolta e luta nestes últimos seis anos sem reajuste salarial. "Somente quem vive a situação é capaz de se pronunciar com propriedade e conhecimento de causa e, com isso, fortalecer o movimento nacional", explicou a coordenadora do Sintrajurn Francisca Gomes, que nesta quarta-feira (15) participa, em Brasília, da marcha dos SPFs.

O twitaço foi criado para que todos falem do mesmo assunto, ao mesmo tempo fazendo com que o tema chegue ao Trending Topics - TT onde ficam os assuntos mais falados, mais comentados, mais tuitados no twitter em um determinado momento. A campanha vai utilizar mais uma vez a hashtag: #ServidorValorizadoJustiçaEficiente #MpuForteServidorValorizado

O 1º Twitaço do Judiciário Federal do Rio Grande do Norte foi realizado na terça-feira (07) da semana passada com participação dos servidores do MPU no Estado. De acordo com o Sintrajurn-RN, também no movimento desta noite será conclamada a participação de toda a categoria para o ato público da próxima sexta-feira (17), às 10 horas da manhã, em frente ao prédio do TRT 21.

Fonte: Sintrajurn-RN

 

 

Pin It

Judiciário e carreiras típicas de Estado realizam ato conjunto dia 16, em frente à JF de Santos

Os servidores públicos federais de várias categorias em todo o país prometem intensificar as paralisações para exigir do governo a abertura de negociações efetivas que coloque fim à política de reajuste zero. Em Santos (litoral de São Paulo) várias categorias em greve ou paralisadas que compõem o Fórum das Carreiras Típicas de Estado – Frente Santos/SP realizarão mais um ato unificado nesta quinta-feira (16/08), às 11h30. A concentração do ato será em frente à Justiça Federal de Santos, localizada na Praça Barão do Rio Branco, 30. O ato também contará com os servidores do Judiciário Federal, em greve por tempo indeterminado desde o dia 8 de agosto.

Em seguida os servidores em greve irão marchar nas ruas de Santos até a Praça Mauá. No percurso denunciarão para a população a política intransigente do governo Dilma Rousseff contra aos servidores que estão em luta pela valorização dos serviços públicos.

Negociação

A pressão e a força das fortes greves dos servidores públicos federais que tomam conta de todo o país têm exigindo do governo Dilma Rousseff algum tipo de negociação e apresentação de propostas.

Este tratamento tem sido dado aos professores das universidades federais que iniciaram a greve no dia 17 de maio, paralisando 57 das 59 universidades de todo o país. Para o Sintrajud-SP, a unidade e a força da greve deste setor são uma demonstração de luta que deve ser seguido por todos os servidores públicos que estão há anos com seus salários congelados. 

Fonte: Sintrajud-SP

 

Pin It

Servidores do Piauí decidem por novo apagão nesta quarta

Outras categorias também estiveram presentes em assembleia e confirmaram participação no ato

A assembleia com maior participação de servidores do Judiciário Federal no Piauí já realizada este ano aconteceu na manhã desta terça (14), no TRE. Muitos servidores da Justiça Federal se deslocaram do outro lado da cidade para participar da discussão e votação que deliberou por um novo Apagão do Judiciário, com concentração da categoria no TRE.

Antes da assembleia, os presentes formaram duas comissões que passaram de sala em sala convocando os servidores da casa a participar da reunião. Um representante dos professores das universidades federais e um servidor do MPF também participaram da atividade, fazendo transparecer o sentimento único das categorias: descontentamento com a defasagem salarial. A medida dada como certa é a mobilização: “Sem PCS, eleição não acontece!”. Em ritmo de palavra de ordem, os servidores decidiram que irão tomar conta da frente do prédio do TRE e paralisar os serviços a partir das 7 horas da manhã desta quarta (15).

O servidor do Ministério Público Federal, Daniel Teixeira Bezerra, deu um tom inovador às discussões da categoria. Ele relatou as dificuldades por que passam os servidores daquele órgão, inclusive com mobilização, mas salientou que 52 pessoas confirmaram participar do apagão amanhã, unindo forças aos servidores do Judiciário Federal. Ele afirma também ter conversado com representantes da Polícia Federal e da Receita Federal, que também teriam garantido apoio e participação na manifestação. Daniel lembra os servidores das dificuldades financeiras porque passa toda a categoria, “pendurada em empréstimos consignados, sem direito a lazer, sem direito à vida que tinha antes”. Ele acredita ser perseguição política o governo não conceder reajuste para os servidores, pois o tempo de congelamento salarial coincide com a data em que o Ministério Público denunciou o esquema do “mensalão”, há seis anos.

O militante e professor da UFPI, Alexis Leite, também compareceu à assembleia dos servidores do Judiciário Federal no Piauí. Depois de o Reitor da UFPI, Luiz Santos Júnior, ter anunciado o corte de ponto dos grevistas, ele reafirma que a categoria não vai rebaixar a proposta de reajuste salarial. O professor comenta sobre a possível suspensão da greve: “Pode até ser que nós voltemos ao serviço por força judicial, mas ano que vem eles podem se preparar porque nós voltaremos com força total. A sociedade precisa entender que esta é uma luta que vai muito além de reposição salarial de servidores, que é uma luta pela valorização do serviço público, um direito de todos os cidadãos”.

A diretora do Sintrajufe-PI Madalena Nunes disse que o governo está tentando utilizar a Lei que garante maior transparência no serviço público, como medida para colocar a população contra os servidores. Para ela, a transparência deve ser muito maior que apenas divulgar salários de servidor junto ao nome e ao CPF. “Nós queremos uma transparência muito mais profunda, onde eles inclusive divulguem os gastos com funções comissionadas e com os gastos pessoais dos administradores”. Segundo a diretora, o governo federal investiu R$16 bilhões nos programas de educação voltados para as faculdades particulares. “Em contrapartida, o que os professores das universidades federais precisam para o reajuste é uma garantia anual de apenas R$4 bilhões, quantia aproximada do que nós precisamos também no Judiciário. Mas a política do governo é distribuir dinheiro para os empresários e sucatear o serviço público. Por isso, a nossa resposta é greve!”.

Fonte: Sintrajufe-PI

 

Pin It

Sisejufe-RJ começa a semana com atividades setoriais de mobilização

A diretoria do Sisejufe-RJ iniciou a semana com manifestações por locais de trabalho no Rio de Janeiro. O objetivo é a intensificação da mobilização da categoria no Rio visando à construção da greve pela aprovação do PL 6.613/2009.

Nesta segunda-feira (13) pela manhã, diretores e diretoras do sindicato e servidores de base participaram de atividades setoriais para convocação da assembleia geral que está sendo realizada no início da tarde desta terça (14), em frente à Justiça Federal da avenida Rio Branco, na Cinelândia. Na ocasião serão eleitos os delegados que participarão da Reunião Ampliada da Fenajufe, em Brasília, entre os dias 15 e 17 de agosto.

Divididos em grupos na manhã de segunda-feira diretores do Sisejufe mostraram a importância da participação dos servidores na retomada da mobilização. “Temos que definir o rumo do nosso movimento. Quem não participa dá a entender que a situação atual não está ruim. Não adianta só ficar reclamando. É preciso participação”, conclamou o diretor do Sisejufe Ricardo de Azevedo Soares, em frente ao prédio da Justiça Federal na avenida Almirante Barroso, no Centro.

O também diretor do sindicato Flávio Pietro defendeu que a greve é um direito constitucional legítimo dos servidores públicos. “Estamos há pelo menos seis anos sem reajustes. Infelizmente, o governo olha para os servidores de maneira desigual. Temos que exercer nosso direito constitucional de fazer greve para reivindicarmos aumento”, afirmou também na atividade setorial da Avenida Almirante Barroso, que contou ainda com a participação dos diretores Márzia Maranhão, Pedro Paulo Leal e Dulavim de Oliveira Lima.

Na Avenida Rio Branco, a atividade setorial foi comandada pelos diretores Roberto Ponciano e Valter Nogueira Alves, que também é coordenador executivo da Fenajufe. Lá, os servidores também foram convocados para participar da assembleia geral desta terça.

Fonte: Sisejufe-RJ

 

Pin It

Servidores da JE no interior do Maranhão se mobilizam para a greve

Sintrajufe-MA promove assembleia geral nesta terça

Depois de o Sintrajufe-MA lançar a convocatória para assembleia geral que acontece nesta terça-feira (14), os servidores no interior do Maranhão intensificaram a mobilização na luta por uma efetiva negociação que ponha fim ao congelamento salarial que enfrentam há mais de seis anos.

Segundo informações do sindicato, os servidores no interior esperam que a participação na assembleia seja fortalecida, e que de lá já saia um indicativo de greve para o mais rápido possível. “Eu até pensei em ir a São Luís para a assembleia, e penso que devemos iniciar esse processo o quanto antes. Não adianta marcarmos greve para depois de agosto”, afirma Maycon Pereira, da Zona Eleitoral de Estreito, chamando todos a participar.

“Contatamos São João dos Patos, Santa Luzia, Barão de Grajaú, Porto Franco, Codó, São Bento, São Mateus, Timbiras”, disse. Todas estas cidades, além de Estreito, aderem à greve. Só não saímos imediatamente para não atropelar o movimento, mas é preciso que a assembleia geral tome seu posicionamento”, pontua Maycon.

A assembleia do Sintrajufe-MA nesta terça-feira (14) será a partir das 13h30, na Justiça Federal. No mesmo dia, os servidores da PRT, em São Luís, se reúnem novamente, com o mesmo intuito de deflagrar o movimento grevista naquele órgão.

Orientações

O Sintrajufe-MA está orientando que os demais locais de trabalho, da mesma forma que São Luis, também devem marcar assembleia, independente do número de servidores lotados na região ou órgão. O sindicato explica que devem lavrar ata com a deliberação e enviar cópia ao Sintrajufe-MA, bem como da lista de presença e do ofício comunicando à chefia a adesão à greve, onde houver. “Esses documentos servem para municiar a Assessoria Jurídica nas ações que se fizerem necessárias. Em caso de greve, deve ser assinada diariamente uma lista para controle de ponto”, explica o sindicato.

Fonte: Sintrajufe-MA

 

Pin It

Rodada de assembleias do Sindiquinze-SP decidirá sobre paralisação na 15ª Região

A retomada da mobilização dos servidores do Judiciário de todo o Brasil neste período pós-recesso parlamentar é fundamental para pressionar uma negociação referente ao reajuste salarial da categoria. Além do período eleitoral que prejudicará os trabalhos no Congresso, o fortalecimento de paralisações e greves neste momento é crucial, visto que os tribunais e conselhos superiores têm até a próxima quarta-feira (15) para enviar as propostas orçamentárias ao Ministério do Planejamento.

Seguindo a orientação ocorrida na última reunião ampliada da Fenajufe, o Sindiquinze-SP realiza nesta terça-feira (14) uma rodada de assembleias que definirá a deflagração da greve na 15ª Região e guiará as próximas atividades do sindicato. A deliberação ocorrerá às 11h, simultaneamente, em frente ao Fórum Trabalhista de Campinas e nas subsedes de Araçatuba, Bauru, Ribeirão Preto, São José dos Campos, São José do Rio Preto e Sorocaba. Em Presidente Prudente, a deliberação ocorrerá às 13h (primeira chamada) e 13h30 (segunda chamada), onde os servidores demonstrarão a vontade da categoria pela conquista do reajuste.

O resultado obtido na rodada de assembleias da 15ª Região será trazido pela delegação do Sindiquinze-SP à reunião ampliada da Fenajufe, marcada para esta quinta-feira (16), em Brasília.

Fonte: Sindiquinze-SP

 

 

Pin It

Assembleia no TRT-RN decide por ato seguido de assembleia geral na próxima sexta-feira

A semana começou movimentada no Rio Grande do Norte. Os servidores do TRT da 21ª Região participaram, no final da manhã e início da tarde desta segunda-feira (13), de uma assembleia setorial onde decidiram pela realização de um novo ato, seguido de assembleia geral para definir estratégias e posições com relação à luta pelo PCS.

A nova mobilização será realizada na próxima sexta-feira (17), a partir das 10 da manhã, em frente ao prédio do TRT. “Esperamos contar com um número maior de participantes neste momento de luta”, disse o coordenador geral da Sintrajurn, Janilson Sales de Carvalho.

Durante a assembleia de hoje também foram decididos novas ações que já estão sendo providenciadas, como espaço na mídia para falar da movimentação dos trabalhadores do poder judiciário federal. “Se a categoria não se unir ficará difícil conseguimos nosso reajuste salarial”, disse a coordenadora Francisca Gomes que participará esta semana, em Brasília, da Marcha Nacional dos Servidores Públicos Federais e da Reunião Ampliada da Fenajufe, como forma de acompanhar as mobilizações que vem acontecendo no Brasil, em especial em Brasília, para pressionar o governo Dilma a negociar com a categoria o reajuste salarial.

Fonte: Sintrajurn-RN

 

Pin It

Sintrajuf-PE convoca categoria para assembleias setoriais a partir desta segunda

O Sintrajuf-PE marcou para esta semana, a partir desta segunda-feira (13), rodada de assembleia para discutir a participação dos servidores de Pernambuco na greve em defesa do PCS. As assembleias setoriais começarão pelas varas da Sudene, às 14h, e pelo TRE, às 16h. E na terça-feira (14), as setoriais serão no TRT, às 14h, e no TRF e na JF, às 16h.

Para o sindicato, a insatisfação com a política salarial do governo federal é generalizada. “A greve dos servidores federais é a mais ampla do funcionalismo desde o começo do governo Lula (2003-2010), desafiando a gestão da presidente Dilma Rousseff, que vem sucateando os serviços públicos e desvalorizando os servidores. Em contrapartida, o governo prioriza o pagamento da dívida, o superávit primário e entrega recursos públicos para grandes empresas e banqueiros”, ressalta o sindicato.

Como não podia ser diferente, no Judiciário, a reação se inicia com a greve dos servidores do Distrito Federal, São Paulo, Mato Grosso e Santa Catarina. Outros estados estão com datas aprovadas para aderir ao movimento. “Precisamos unir forças, pois estamos em dias decisivos”, resalta o sindicato.

Segundo a Condsef, 28 órgãos federais do Executivo foram diretamente afetados, entre greves, suspensão temporária de trabalho ou operações-padrão. A decisão do governo de punir grevistas com descontos e adiar mais uma vez a negociação acirrou os ânimos. Outra medida que desagradou servidores foi o Decreto 7777/12 que determina a troca de grevistas por funcionários estaduais e municipais, que a CUT repudiou e vai entrar na Justiça, juntamente com as confederações, com uma ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin). A cada ataque do Governo a greve se amplia. Agora aderiram ao movimento os servidores das polícias federal e rodoviária.

Em relação ao PCS, o sindicato lembra que a primeira reunião da Comissão de Finanças e Tributação (CFT) depois do recesso parlamentar estava marcada para a quarta-feira (08) e foi cancelada por falta de quórum. O PL 6613/09 (PCS) estava na pauta da sessão. “Ao que parece, mais uma vez o Executivo manobrou para inviabilizar a votação”, ressalta o Sintrajuf-PE.

“Os meios de comunicação têm criticado o movimento dos servidores e colocado a opinião pública contraria a greve. O Judiciário, à serviço do governo e dos patrões, tem cerceado o direito de greve, julgado-as ilegais e abusivas e descontando o salário dos servidores. Em Pernambuco, o TRT6 Região julgou contrárias as greves nos setores publico e privado, como é as da construção civil, dos rodoviários, além de cortar o ponto dos próprios servidores da justiça do trabalho. Contraditoriamente, os juízes fizeram greve e não tiveram o mesmo tratamento dos servidores”, afirma o Sintrajuf-PE.

Fonte: Sintrajuf-PE

 

Pin It

Servidores do Judiciário de Alagoas decidem entrar em greve a partir do dia 20

Os servidores do Judiciário Federal e do MPU de Alagoas decidiram entrar em greve por tempo indeterminado a partir do dia 20 de agosto, próxima segunda-feira. A decisão foi tomada em assembleia geral, realizada na manhã da última sexta-feira (10), em frente ao prédio das Varas do Trabalho (Fórum Quintella Cavalcanti).

O coordenador Jurídico do Sindjus-AL, Paulo Falcão, disse que a greve é pela retomada da data-base. Ele destacou que os reajustes conquistados sejam transferidos aos aposentados, explicando que é bandeira de luta a integralidade e a paridade. Falcão informou que as entidades dos servidores públicos ajuizaram Ação Direta de Inconstitucionalidade contra o Decreto 7.777/2012, que permite aos trabalhadores estaduais, municipais e terceirizados exercerem as funções que são prerrogativas dos servidores públicos federais.

O sindicalista comunicou o calendário nacional de mobilização, que terá realização da Marcha, da reunião ampliada da Fenajufe e da Plenária Nacional dos Servidores Públicos Federais, no período de 15 a 17 de agosto. Ele também ressaltou que as entidades dos servidores também estão fazendo denúncia à Organização Internacional do Trabalho sobre a intransigência do governo Dilma Rousseff que nega a revisão salarial, publica o Decreto 7.777/2012 e corta salários dos grevistas.

Buscando conscientizar a categoria, o coordenador Administrativo do Sindjus-AL, Alex Sandro Cardoso, declarou que muitos servidores fazem de conta que nada está acontecendo. “Eles não entendem que estamos em uma batalha. Façam o comparativo do salário com outras categorias análogas do Judiciário e verão a disparidade salarial”.

Para a integrante do movimento Mulheres em Luta, Laís Goes, o governo tem dinheiro para os empresários, mas não para os trabalhadores. Ela destacou que ainda dá tempo para os trabalhadores frearem os ataques do governo Dilma, participando das mobilizações dos servidores.

Da mesma forma afirmou a integrante da Assembleia Nacional dos Estudantes Livre (Anel), Gabriela Costa, ao destacar que a presidente é de um partido da classe trabalhadora, mas que não negocia com os trabalhadores, apenas beneficia os empresários e precariza os serviços públicos.

A servidora da Justiça estadual Luciene Terto destacou que se sentiu feliz com a deflagração da greve tendo em vista o atual momento de luta da classe trabalhadora contra o congelamento de salário.

Na assembleia, os servidores discutiram a possibilidade de realização de uma atividade em conjunto com os servidores públicos federais durante a visita da presidente Dilma Rousseff a Maceió, no dia 17.

Em todo o país, os trabalhadores do Judiciário partem para o movimento grevista nacional juntamente com outros servidores do serviço público federal. A categoria pressiona os poderes Legislativo, Executivo e Judiciário pelo fechamento de um acordo que garanta os recursos para aprovação dos Projetos de Leis 6.613/2009 e 6.697/2009, que revisam os Planos de Cargos e Salários (PCSs) que se encontram parados na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara Federal há mais de dois anos.

Fonte: Sindjus-AL

 

Pin It

Greve em Santa Catarina começa na segunda, dia 13

BRASÍLIA – 10/08/12 - Em assembleia realizada às 17 horas de quarta-feira [08], por maioria, os servidores aprovaram início da greve no dia 13, próxima segunda-feira. Antes da deliberação, foi realizada reunião setorial na JF, JE e JT da Capital, para que os servidores das três justiças pudessem debater o grau de mobilização em cada uma e levar o resultado para a Assembleia.

A reunião dos servidores da Eleitoral, na frente do TRE, reuniu cerca de 80 servidores, uma das maiores participações nos últimos anos. Foi feito um arrastão nas três justiças, durante a tarde, para convidar o maior número de trabalhadores possível para esse dia de greve [08], e ampliar a participação para que fosse deliberada a decisão de entrar em greve por tempo indeterminado. A paralisação nesta quarta também ocorreu em outras regiões do Estado.

Fonte: Sintrajusc-SC

Pin It

Assembleia do Sindjuf-PA/AP aprova indicativo de greve dias 16 e 17 no TRE-PA

BRASÍLIA – 10/08/12 - Após ouvir atentamente os esclarecimentos dos servidores do TRE do Pará que compareceram à assembleia geral do Sindjuf-PA/AP na quarta-feira [08], os servidores aprovaram o indicativo de greve por tempo determinado, nos dias 16 e 17 de agosto, na Justiça Eleitoral do Pará.

Agora, a Diretoria Executiva e o Jurídico do sindicato providenciarão o ofício comunicando ao TRE e o aviso a população, como manda a lei.

Setorial
Na segunda-feira [13/08] haverá nova assembleia setorial na sede do TRE do Pará para debater as estratégias de greve e divulgação do documento que simbolizará o compromisso dos servidores com a luta da categoria em prol do reajuste salarial.

Nova assembleia geral
Já ficou definido que o primeiro dia de greve [16/08] iniciará com assembleia geral para avaliar o movimento, o percentual de adesão, bem como possível indicativo de greve do TRE do Amapá, que fará setorial na sexta [10/08].

TRT8 - Setorial define novas datas de mobilizações
Continuando na luta para trazer de volta os servidores do TRT à batalha pelo reajuste salarial, a Diretoria Executiva do Sindjuf-PA/AP realizou nova setorial na frente do Tribunal.

“Embora a participação da categoria ainda tenha sido longe do almejado, já se definiu novas estratégias de luta, com compromisso pessoal de alguns companheiros de juntar-se a Executiva nas mobilizações”, informa o sindicato.

A partir de segunda-feira [13/08] haverá visita diária a um setor do tribunal, com membros da Executiva e servidores da base, para levar o debate para dentro do Tribunal.

Plano de saúde
Na próxima terça-feira, dia 14, o Sindjuf-PA/AP vai realizar setorial específica para debater a situação do plano de saúde do TRT-8ª, conforme indicativo da Setorial de hoje [09/08].

Fonte: Sindjuf-PA/AP

Pin It

No Piauí, servidores da sede do TRT apostam na greve

BRASÍLIA – 09/08/12 - As reuniões desta quinta [09] no TRE e no TRT da Fazendinha, em Teresina-PI, revelaram um espírito animador para o movimento grevista. Apesar de a reunião do TRE ter contado com um número reduzido de pessoas, os servidores do TRT lotados na sede do complexo administrativo [Fazendinha] atenderam ao chamado do Sintrajufe-PI e demonstraram grande interesse em participar de uma forte mobilização para aprovação do plano. Como proposto nas reuniões desta quarta [08], a categoria irá se reunir na próxima terça-feira [14] para uma assembleia geral no TRE, às 9h, a fim de discutir a mobilização do semestre e decidir se realizam o apagão no TRE logo no dia seguinte [quarta, 15 de agosto] – prazo limite para o Supremo Tribunal Federal encaminhar proposta orçamentária ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

Os diretores explanaram e analisaram a situação da conjuntura política que envolve não só o PCS, mas a luta de várias categorias em greve para pressionar o governo em busca de valorização salarial dos servidores públicos federais. O diretor Pedro Laurentino parabenizou os servidores do TRT da Fazendinha por terem comparecido em grande número no Apagão do Judiciário e terem dado suporte significativo ao movimento realizado nos dias 4 e 5 de julho, para barrar o registro de candidaturas. A diretora Madalena Nunes ressaltou ainda que aquele foi mais um exemplo de que a categoria mobilizada consegue mexer com as estruturas de poder, pressionando-os a negociar com os trabalhadores.

O diretor Saturnino Dantas enfatizou a necessidade de unir força com as demais categorias em greve no país. Sugeriu ainda que o Sintrajufe-PI faça o convite àqueles manifestantes para participarem do novo apagão, que deve ser realizado na próxima quarta [15], no TRE. Saturnino entende que se a categoria deixar passar o período eleitoral, provavelmente será preciso esperar mais quatro anos para ter poder de negociação com o Judiciário e com o governo. “Nós não podemos deixar passar este momento, em que a maior parte das categorias no país está articulada e unida em prol do serviço público de qualidade e da valorização salarial dos servidores. Nós entendemos que o momento é difícil, mas nada é impossível”, avaliou.

Servidores no TRE trabalham de graça
De acordo com o relato dos servidores que participaram da reunião no TRE, a situação das pessoas que trabalham naquele Tribunal é difícil, devido ao excesso de trabalho e à falta de perspectivas de recebimento de horas-extras ou mesmo sequer a compensação das horas trabalhadoras. Em 28 de maio, o presidente do TRE, Haroldo Oliveira Rehem, baixou uma resolução que define regras para o pagamento de horas-extras e a compensação de horas.

O Sintrajufe-PI explica que durante o período das eleições, o TRE trabalha em regimes de plantão no sábado e no domingo, além das horas trabalhadas durante a semana. Na resolução, o presidente determina que as horas trabalhadas aos sábados, domingos e feriados só poderão ser pagas se o servidor tiver trabalhado duas horas-extras diárias nos cinco dias que antecedem o dia em questão. A resolução também diz: “A realização do labor além-jornada sem prévia autorização inviabiliza o seu registro para qualquer finalidade, inclusive o pagamento”. Segundo os trabalhadores, é uma constante a chegada de processos urgentes no final do expediente, obrigando-os a trabalharem além da jornada sem receberem por isso ou sem mesmo poderem compensar.

Sobre o banco de horas, a resolução também limita a compensação de 40 horas por mês, sendo que os servidores têm um prazo improrrogável de até cinco anos para compensar; caso contrário, as horas expiram. Durante o período eleitoral, os trabalhadores também ficam proibidos de compensar horas “no período compreendido entre os 90 [noventa] dias que antecedem as eleições até a diplomação dos eleitos e encerramento do
alistamento eleitoral”. Além disso, a resolução também limita em 60 o número máximo de horas-extras a serem pagas de forma pecuniária, ‘se houver disponibilidade orçamentária’. “Aqui no TRE tem gente com mais de 200 horas acumuladas. Com esta limitação para serem pagas e o prazo que temos para compensar, simplesmente muito do nosso trabalho vai sair de graça”, desabafam os servidores.

O Sintrajufe-PI já encaminhou a resolução para ser apreciada pela assessoria jurídica. O sindicato irá conversar com a presidência do TRE por via administrativa e se não resolver, os diretores irão entrar com ação judicial contra a medida. Os diretores acreditam ainda que este é mais um motivo para que os servidores deixem aflorar a indignação, de modo a participarem efetivamente do movimento paredista, na luta a favor da valorização salarial e contra atitudes arbitrárias como estas.

Fonte: Sintrajufe-PI

Pin It

afju fja fndc