fbpx

Agência de Notícias

No Rio Grande do Sul, assembleia geral rejeita proposta do governo e aprova continuidade e fortalecimento da greve

Os servidores do Judiciário Federal gaúcho, reunidos em assembleia geral na tarde desta segunda-feira (27), rejeitaram sumariamente a proposta feita pelo governo Dilma, de reajuste de 15,8% parcelados em três anos. Para os trabalhadores, é fundamental a manutenção da luta pela aprovação do PCS integral. Depois da assembleia com os servidores de Porto Alegre, na última quarta-feira (22), agora a contraproposta foi rejeitada pelos servidores de todo o Estado.  

Nas intervenções que antecederam a votação, os colegas lembraram que o Judiciário e o MPU são as categorias que estão há mais tempo sem receber qualquer reposição e que o percentual proposto pelo governo não cobre sequer metade da inflação de 2006 até agora.

A reunião, ocorrida no auditório das varas trabalhistas, em Porto Alegre, também deliberou pelo fortalecimento da greve iniciada em 15 de agosto e sua continuidade por tempo indeterminado. Os servidores também votaram e aprovaram o calendário com as próximas atividades da luta pelo reajuste salarial.

Com a participação de mais de 200 pessoas, a assembleia contou com presença de grevistas de Alvorada, Cachoeirinha, Canoas, Esteio, Estrela, Gravataí, Montenegro, Novo Hamburgo, Pelotas, São Jerônimo, São Leopoldo, Soledade, Passo Fundo, Vacaria, Triunfo, Santana do Livramento e Farroupilha, além dos servidores da capital e de vários colegas aposentados.Agenda da greve esta semana no Rio Grande do Sul

Dias 28 e 29/08 (terça e quarta-feiras)

- Passagem pelos setores

Dia 30/08 (quinta-feira)

- Ato na Justiça Federal às 14h

- Reunião do Comando Estadual de Greve

- Ato nacional no STJ, em Brasília

Dia 31/8 (sexta-feira)

- Reunião Ampliada da Fenajufe, em Brasília

Fonte: Sintrajufe-RS

 

 

Pin It

Servidores do Judiciário e do MPU, em ato no Rio, forçam Dilma a entrar escondida no Theatro Municipal

Cerca de 300 servidores públicos federais ocuparam a Avenida Rio Branco por 40 minutos em manifestação por reajuste salarial

Em ato público nesta segunda-feira (27), os trabalhadores do Judiciário Federal e Ministério Público da União – que começou com um ato público em frente à sede do PT no centro do Rio – em conjunto com servidores de outras quatro categorias (Saúde, Educação, Cultura e Aeronáutica), além de estudantes das universidades federais e do Colégio Pedro II, ocuparam a entrada do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, obrigando a presidenta da República Dilma Rousseff a entrar escondida pela porta lateral do teatro, com a proteção da tropa de choque da Polícia Militar do Rio de Janeiro. A presidenta foi à cidade para a cerimônia de entrega de medalhas da 7ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep). A solenidade contou também com a presença do governador Sérgio Cabral (PMDB).

“Efetivamente esse ato tem que servir para despertar a categoria fazer o trabalho que é neste momento o essencial: a greve! Se os trabalhadores do Judiciário Federal cruzarem os braços de verdade, o governo federal será obrigado a conceder aumento”, disse o dirigente sindical do Sisejufe-RJ Roberto Ponciano. Os servidores do Judiciário Federal retomaram a greve por tempo indeterminado nesta terça-feira, 28 de agosto.

Com palavras de ordem como “PCS Já!”, munidos de cartazes, faixas e apitos, os servidores cobraram aumento salarial do Judiciário Federal e MPU, além da reposição salarial para as outras categorias do funcionalismo público. De acordo com o Sisejufe-RJ, o protesto chegou a ocupar toda a Avenida Rio Branco, na altura da Avenida Araújo Porto Alegre, parando o trânsito por cerca de 40 minutos durante a chegada da presidente Dilma ao Theatro Municipal, no Rio de Janeiro. Os servidores ficaram frente a frente com a tropa de choque da PM mas não houve confronto. Estima-se que 300 servidores participaram da manifestação, sendo cerca de cem trabalhadores do Judiciário Federal e do MPF.

Todo o entorno do Theatro Municipal foi fechado com barreiras montadas desde o início da Praça Floriano. Segundo a Polícia Militar, o aparato foi necessário para evitar protestos durante a passagem da presidenta. Após a saída da Tropa de Choque de frente da manifestação, a Guarda Municipal reabriu uma das pistas da Avenida Rio Branco ao trânsito. Os manifestantes se reuniram em frente ao Museu Nacional de Belas Artes e na lateral do Theatro Municipal.

“Os servidores das Justiças Federais, aqui presentes, precisam, ao voltar ao seu local de trabalho, ter o compromisso de contar aos companheiros de trabalho, o que viram e ouviram nesta manifestação hoje. É necessário contar essa história. Dizer a todos na Justiça Federal que você estava na rua protestando contra o governo federal e lutando pelo seu reajuste salarial e o dele também”, discursou o diretor sindical do Sisejufe, Edson Mouta Vasconcellos.

Além dos diretores e servidores do Judiciário Federal e MPU, participam do ato sindicatos de servidores de universidades federais e de hospitais universitários, além de estudantes. As entidades representadas foram: Sisejufe-RJ, Sinasempu (Sindicato dos Servidores do MPU e do Conselho Nacional do Ministério Público); Associação Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes-RJ); a Associação dos Docentes da UFRJ (ADUFRJ); o Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Universidade Federal Fluminense (Sintuff); a Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores da Universidades Públicas Brasileiras (Fasubra); e o Sindicato Nacional dos Aeroviários (SNA).

Leia aqui mais sobre os protestos desta segunda no Rio de Janeiro.

Fonte: Sisejufe-RJ

Fotos: Tatiana Lima/Sisejufe-RJ

 

Pin It

Assembleia em Santa Catarina rejeita por unanimidade proposta do governo

Em assembleia realizada nesta segunda-feira (27), no TRE de Santa Catarina, os servidores rejeitaram por unanimidade a proposta do governo Dilma para o Judiciário, de reajuste de 5% para 2013. A proposta global é de 15,8%, em três parcelas de 5%, com implementação até 2015.

Na assembleia, que se manterá em caráter permanente, também foram eleitos dois delegados e um observador para a reunião ampliada da Fenajufe, que ocorrerá na sexta-feira, dia 31 de agosto. Um dos delegados veio nesta terça-feira (28) a Brasília para integrar o Comando Nacional de Greve e participar do ato programado para quinta-feira (30), no STJ.

Quadro de greve em Santa Catarina  

Justiça Federal (Greve ou paralisação parcial de 2 ou 3 horas):

Blumenau, Caçador, Chapecó, Criciúma, Florianópolis, Itajaí, Jaraguá do Sul, Joaçaba, Joinville, Lages, Laguna, Rio do Sul, Tubarão

Justiça Eleitoral:

Florianópolis: Greve

71 Zonas Eleitorais que param nesta terça (28)

Justiça do Trabalho:

Florianópolis, Chapecó, Imbituba e Caçador: paralisação diária de 2 horas

Fonte: Sintrajusc-SC

 

 

Pin It

Greve começa forte em Goiás nesta segunda-feira (27)

Os servidores do TRE-GO, TRT-GO e Justiça Federal paralisaram suas atividades em Goiás, por tempo indeterminado, nesta segunda-feira (27), para reivindicar reajuste salarial . A greve dos servidores começou forte em Goiás e teve boa adesão no interior do estado.

Às 14 horas, foi realizado um ato unificado com a participação dos servidores do MPF e MPT em frente ao edifício-sede do TRE-GO, na Praça Cívica, Centro de Goiânia, que reuniu cerca de 400 servidores. Como forma criativa de fazer o chamamento para a adesão à greve, houve uma performance com a personagem da presidenta Dilma alertando que sem mobilização, não haveria reajuste salarial.

Entoando o refrão “Quem julga o mensalão não tem reposição”, com faixas, cartazes, adesivos e foguetório, os servidores seguiram em passeata pelo Centro da Capital até a sede da Seção Judiciária do Estado de Goiás, onde estava sendo realizado o I Mutirão de Audiências dos Juizados Especiais Federais. A manifestação conquistou ampla repercussão na imprensa local.

Agenda de Greve

28/08 (terça-feira)
9h: Concentração no TRT-GO [entrada no Fórum Trabalhista de Goiânia]
14h: Ato no TRT-GO com arrastão nas Varas Trabalhistas e Setores do Tribunal. Passeata até a Central de Atendimento ao Eleitor do TRE-GO, na Avenida Mutirão (Setor Marista).
 
29/08 (quarta-feira)
12h: Concentração na JF-GO e Arrastão da Conscientização (entrada da rua 19, Centro de Goiânia)
 
30/08 (quinta-feira)                           
Caravana a Brasília: Ato Nacional no Supremo e no STJ: Adeus ao Ari Pargendler. Saída de Goiânia às 10h
 
31/08 (sexta-feira)
10h: Reunião ampliada da Fenajufe em Brasília (com participação de delegados do Sinjufego)

Fonte: Sinjufego-GO

Foto: Carolina Skorupski

 

Pin It

Servidores de Alagoas repudiam a ação da PM contra manifestantes em Brasília

Os servidores do Judiciário Federal de Alagoas manifestaram repúdio à ação da Polícia Militar contra os grevistas, ocorrida na última quinta-feira (23), na Praça dos Três Poderes, em Brasília. Protestando contra a política do governo Dilma, a PM usou a força para reprimir os grevistas. O coordenador Jurídico do Sindjus-AL, Paulo Falcão, destacou que a categoria não irá recuar. “O movimento grevista cresce contra o congelamento de salário, contra os ataques aos direitos dos trabalhadores, contra aos assédios moral e sexual”, ressaltou durante ato público ocorrido na sexta-feira (24).

Mobilização

As atividades de greve serão retomadas nesta terça-feira (28) devido ao feriado estadual nesta segunda (27). A concentração será em frente ao prédio das Varas do Trabalho a partir das 9 horas.

Os grevistas pretendem mobilizar a categoria para realizar o ato público TRE contra a determinação do Superior Tribunal de Justiça de que 80% do quadro de servidores da Justiça Eleitoral mantenham os trabalhos.

Paulo Falcão destacou que a decisão é uma aberração jurídica. “O objeto da ação tratava apenas da greve de 48 horas ocorrida nos dia 4 e 5 de julho, e não dessa greve por tempo indeterminado”, esclareceu.

Manifestação nacional

Doze servidores do Judiciário de Alagoas se colocaram à disposição para participar do ato público “Bota fora de Ari Pargendler”, na próxima quinta-feira (30), em frente ao STJ. O ministro foi um dos autores da decisão que atacou o direito à greve dos servidores, julgando ações que estabelecem percentuais mínimos de funcionamento do órgão e permitem o corte de ponto. Os servidores também participarão da reunião ampliada da Fenajufe no dia seguinte.

Na última sexta-feira (24), após o ato publico em frente ao prédio das Varas do Trabalho, a categoria realizou uma panfletagem no prédio sede do TRE, convocando os servidores para aderir ao movimento grevista nacional.

Fonte: Sindjus-AL

 

Pin It

Judiciário no Piauí completa oito dias em greve e programa vigília para quinta (30)

Servidores do Judiciário Federal no Piauí e Ministério Público completaram nesta segunda (27) oito dias em greve no estado. A concentração aconteceu na sede do Tribunal Regional Eleitoral, ponto estratégico escolhido pelos manifestantes para ganhar visibilidade por conta do período eleitoral.

A segunda semana de greve terá novos atrativos: na terça, os servidores se reúnem novamente no TRE, às 7h da manhã; na quarta, farão um ato público em frente ao TRE com as demais categorias em greve debatendo sobre o direito de greve no serviço público e na quinta haverá uma vigília, também em frente ao TRE, que tem por objetivo pressionar o Governo a incluir o PCS no Orçamento, já que sexta é o prazo final para o Executivo enviar a proposta orçamentária ao Legislativo.

A diretora Madalena Nunes chama a atenção dos servidores que ainda não aderiram ao movimento. Ela enfatiza a necessidade de mais mobilização nestes dias, em que finaliza o prazo para o envio da proposta de orçamento ao Congresso, além das eleições. Para ela, será difícil a categoria conseguir outro momento propício para pressionar o Governo. “Nós podemos ter a certeza de que se nós não aprovarmos este plano até as eleições, vamos passar mais alguns anos lutando. A gente sabe que fazer greve não é fácil, mas viver é correr riscos”, ressalta a diretora do Sintrajufe-PI.

O diretor Pedro Laurentino lembra ainda aos grevistas que é crucial não voltar ao trabalho após as manifestações de greve. Ele reforça a necessidade de paralisar cada vez mais os serviços até as eleições, principalmente esta semana, que antecede o envio da proposta do Governo ao Congresso. “Nós temos que parar o TRE nos próximos dias e mostrar para eles que nós não estamos brincando. Não podemos mais esperar, já se passaram seis anos e nós temos direito ao nosso reajuste”, reforça Laurentino.

Fonte: Sintrajufe-PI

Pin It

Sindiquinze-SP realiza assembleia na quarta-feira para deliberar sobre proposta do governo

O Sindiquinze-SP realiza, na próxima quarta-feira (29), uma grande assembleia que, dentre outros itens, irá deliberar sobre a proposta apresentada pelo governo de 15,8%, divididos em três anos, para o reajuste dos servidores públicos de todo o país.

Desde a última segunda-feira (20), a Justiça do Trabalho da 15ª Região integra o movimento grevista nacional do funcionalismo público para a inclusão de um reajuste salarial digno na Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2013.

O Sindiquinze-SP ressalta que esta é uma semana decisiva para a categoria, uma vez que o prazo para o Executivo encaminhar a proposta de inclusão do reajuste se encerra na sexta-feira , 31 de agosto. Por isto, a união e fortalecimento da paralisação em todo o país nestes últimos dias são fundamentais para uma negociação que garanta a inclusão do PL 6613/2009 na LOA e contemple o benefício a todos os servidores do Judiciário.

A diretoria do sindicato convoca todos para a assembleia geral que definirá a vontade da categoria diante da proposta apresentada pelo governo.

A assembleia será às 12h, em frente à sede do Tribunal, no centro de Campinas.

Fonte: Sindiquinze-SP

 

Pin It

Atividades de greve movimentam servidores na Bahia

A greve dos servidores da Bahia, que começou no dia 15 de agosto e atinge os três ramos do Judiciário Federal, segue firme. Para esta semana, estão programadas as seguintes atividades para movimentar a categoria:

Segunda-feira (27)
- Ato na Justiça Federal, às 12h. Concentração no saguão
- Assembleia setorial no TRT, em Feira de Santana, às 8h

Terça-feira (28)
- Concentração no TRE, às 12h

Quarta-feira (29)
- Ato no TRT, em Nazaré, às 8h

Quinta-feira (30)
- Assembleia Geral, no TRE, às 13h

Fonte: Sindjufeba-BA

Pin It

Greve em Santa Catarina se fortalece em semana decisiva

Nesta terça-feira (28), 67 zonas eleitorais em Santa Catarina irão paralisar as atividades. A forte mobilização do TRE da Capital impulsionou os colegas no Estado a aderirem ao movimento, ao qual devem aderir mais zonas eleitorais ao longo dessa semana.

Na Justiça Federal há greve ou paralisação parcial em 13 municípios. A Justiça do Trabalho está fazendo paralisação diária de duas horas.

Servidores da Justiça Federal, Justiça Eleitoral e do Ministério Público da União (MPU) de Joinville fazem ato unificado nesta terça-feira (28), das 13 às 18 horas, na frente do prédio da Justiça Eleitoral, no centro da cidade.

Quadro atualizado da greve em Santa Catarina

Justiça Federal (Greve ou paralisação parcial de 2 ou 3 horas):

Blumenau, Caçador, Chapecó, Criciúma, Florianópolis, Itajaí, Jaraguá do Sul, Joaçaba, Joinville, Lages, Laguna, Rio do Sul, Tubarão

Justiça Eleitoral:

Florianópolis: Greve

67 Zonas Eleitorais param nesta terça (28)

Justiça do Trabalho:

Florianópolis, Imbituba e Caçador (a partir de terça, 28): paralisação diária de 2 horas

Fonte: Sintrajusc-SC

 

Pin It

Servidores da Baixada Santista realizam ato conjunto nesta terça

Concentração começa 11h30, na Praça José Bonifácio. Manifestação defende o direito de greve e cobre abertura de negociações sérias e efetivas

Após a passeata que reuniu mais de 400 servidores federais nas ruas de Santos, no último dia 16, grevistas de diversas categorias farão novo ato unificado na próxima terça-feira (28).

A concentração será às 11h30 na Praça José Bonifácio. A manifestação acontece em defesa do direito de greve e pela abertura imediata de negociações sérias e efetivas com o governo federal.

A realização deste ato foi definida na sexta-feira (24) entre diversos representantes das entidades que compõem o Fórum de Carreiras Típicas de Estado de Santos, junto com o Sintrajud-SP e Sindicato Nacional dos Servidores do MPU. Na reunião, foi feita uma avaliação da atual conjuntura e debatido os rumos do movimento paredista que envolve diversas carreiras em nível nacional.

Os servidores debateram a proposta de reajuste no total de 15,8%, parcelados em três anos, feita pelo governo, que vem sendo rejeitada por diversas categorias.

Greves se intensificam

Os servidores do Judiciário, além de rejeitar a proposta, intensificaram a greve em todos seus ramos. Devido à intensidade do movimento paredista na Justiça Eleitoral, aumenta dia a dia a preocupação do governo com relação à realização das eleições de outubro.

De acordo com os grevistas o recado dado ao governo federal é de que “sem negociação pode não haver eleição”.

Fonte: Sintrajud-SP

 

Pin It

Servidores de Sergipe decidem entrar em greve por tempo indeterminado

Em assembleia realizada na última sexta-feira (24), servidores do Judiciário Federal em Sergipe decidiram entrar em greve por tempo indeterminado a partir desta segunda-feira (27). A assembleia foi realizada após a manifestação que ocorreu na cerimônia de inauguração do prédio do MPE-SE, que contou com a presença do Presidente do STF, ministro Ayres Britto.

A manifestação contou com a participação de um expressivo número de servidores e chamou a atenção de toda imprensa local, que destacou a decisão da categoria em paralisar suas atividades por tempo indeterminado. “Pela primeira vez, por ampla maioria, os servidores do Judiciário Federal em Sergipe, decidiram entrar em greve por tempo indeterminado”, enfatiza o coordenador do Sindjuf-SE, José Pacheco.

Reunião com o ministro Ayres Britto

Além de dar visibilidade à luta dos servidores do Judiciário Federal em Sergipe, a manifestação serviu também para que uma comissão de cinco representantes da categoria, além de dois representantes do MPU, fosse recebida pelo ministro Ayres Britto neste sábado (25).

“Na reunião, o ministro explicou todo o processo de negociação em curso com o Executivo e da sua insistência para que a proposta de orçamento do Poder Judiciário fosse aceita integralmente. Os representantes da categoria, por sua vez, insistiram que a proposta do Executivo não atende a nossa reivindicação e solicitaram que o Presidente do STF tente melhorá-la antes do prazo de definição da LOA”, relata o coordenador do Sindjuf-SE que esteve presente na reunião com o ministro.

Outras manifestações

Na quarta-feira passada (22), os servidores do Judiciário Federal em Sergipe paralisaram suas atividades por 24 horas na capital, em conjunto com os servidores do MPU. Durante todo o dia houve manifestação na frente das sedes do TRT e da JF, com apitaços, piquetes e "arrastões" para trazer o maior número de servidores para a luta pelo PCS.

A partir do meio-dia houve um ato conjunto de toda a categoria em frente ao prédio do TRE, onde foi realizada uma assembleia que decidiu rejeitar por unanimidade a proposta de reajuste de 15,8% apresentada pelo Executivo e reafirmar que a luta é pela aprovação do PCS.

Fonte: Sindjuf-SE

Pin It

Presidente do TRE-PB justifica atraso sobre processo eleitoral: “Estamos fora do calendário do TSE”

Pela primeira vez em 80 anos de Justiça Eleitoral, o TRE da Paraíba não consegue dar cumprimento ao Calendário Eleitoral elaborado pelo TSE. A revelação foi feita na última sexta-feira (24), pelo próprio presidente, desembargador Marcos Cavalcanti de Albuquerque.

Durante a sessão de julgamento daquela tarde, num intervalo entre dois processos, o presidente usou da palavra para lamentar que mais de 300 recursos, dos pouco mais de 500 registrados, não foram julgados ainda e a conclusão pode só ocorrer nesta terça-feira (28), cinco dias após o prazo do Calendário Eleitoral.

Segundo Marcos Cavalcanti, os gabinetes não tiveram tempo para uma boa produção o que forçou, inclusive, o adiamento de uma sessão extra que ocorreria neste sábado.

Leia abaixo a íntegra da lamentação do Presidente Marcos Cavalcanti de Albuquerque:

“Eu quero aproveitar que o auditório está repleto de advogados para comunicar que amanhã (25) não haverá aquela sessão que nós pensávamos fazer. Porque não houve tempo de uma boa produção nos gabinetes. Então combinamos que os gabinetes vão trabalhar de forma intensiva neste sábado e domingo, porque ainda temos cerca de 300 recursos eleitorais para julgamento e o prazo encerrou ontem, dia 23.

Nós já estamos trabalhando fora do calendário do TSE. Porque temos muitos recursos chegando do interior, agora, e ainda passando pela Procuradoria Eleitoral, para Parecer, para depois ir para aos gabinetes. Então, o atraso foi muito grande nas zonas eleitorais. De tal maneira que iremos trabalhar hoje, sábado e domingo".

Na segunda eu aviso aos eminentes advogados que estaremos aqui, a partir das oito horas, para uma produção intensa, se Deus quiser. Para ver se conseguiremos terminar tudo na segunda e na terça, se Deus quiser”.

Fonte: Site PBAgora

 

Pin It

Durante ato público, categoria em Minas diz não à proposta de reajuste do governo

Foto: Generosa Gonçalves

 

Foi por unanimidade que os servidores do Judiciário Federal em Minas, reunidos em frente ao prédio do TRE na última sexta-feira (24), disseram não à proposta de reajuste salarial oferecida pela presidente Dilma Rousseff, de 15,8%, a ser dividido em três parcelas (2013, 2014 e 2015). Informes, apitaços, buzinas, rock e Jingle da greve, além do “casamento” da Dilma Rousseff com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, compuseram a manifestação de sexta-feira. Servidores do MPU, também em greve, estiveram presentes.

Abrindo o ato, o coordenador-geral do Sitraemg Hebe-Del Kader – também diretor da Fenajufe - passou os informes aos servidores, parabenizou outras categorias em greve, destacando a greve dos policiais federais e convidou os colegas do TRE, que ainda não aderiram ao movimento, a descerem e se juntar aos demais servidores presentes. “O serviço é perene em qualquer lugar, descem para lutar por seus direitos, pois temos que fazer ‘andar’ a nossa greve e mostrar nossa indignação contra a proposta de reajuste apresentada pelo governo”, disse o coordenador, salientando que esta proposta só surgiu após o movimento grevista que já toma grande parte do país. “A proposta é absurda: três anos parada no Congresso Nacional e seis, sem reajuste”, criticou o sindicalista.

Os coordenadores do Sitraemg Lúcia Maria Bernardes, Débora Mansur, José Francisco Rodrigues, Hélio Ferreira Diogo e Paulo Márcio Santos também estiveram presentes à manifestação.

Carlos Antônio Ferreira, o Ovo, sempre presente às manifestações, falou sobre os sentimentos que as pessoas, assim como ele, têm no período de greve. O medo de perder funções, sofrer retaliações e o acúmulo de serviços foram destacados pelo servidor. “A greve mexe muito com as pessoas e, fazê-la é muito ruim, desgastante e incômodo”, salientou. Ovo aposta na argumentação como forma de “sedução” para atrair mais servidores à luta. Segundo ele, os colegas grevistas devem confiar e ser solidários mesmos com os servidores que ainda não participam do movimento. “Não devemos julgá-los e sim, contagiá-los”, acrescentou.

Ministério Público da União

Os servidores do MPU, também em greve por reajuste salarial, vêm demonstrando total apoio à greve do Judiciário e vêm participando ativamente das manifestações convocadas pelo Sitraemg-MG, conforme explica o sindicato. O diretor seccional em Minas Gerais do Sinasempu (Sindicato Nacional dos Servidores do MPU), Anestor Germano, parabenizou o movimento do Judiciário e salientou a importância da união dos servidores federais neste momento.

Roberto Loureiro, também diretor do Sinasempu, destacou as críticas que os servidores públicos recebem da população e da mídia quando lutam por melhores condições salariais. “Estamos aqui porque merecemos. Estudamos muito, fizemos concursos e fomos aprovados”, destacou Roberto.

Também na tarde de sexta-feira (24), durante o ato, os servidores do MPU deliberaram por continuar em greve e se reunirão nesta segunda (27), em assembleia, para decidirem os próximos rumos do movimento.

“Casamento” Dilma Rousseff e Fernando Henrique Cardoso

Uma grande atração durante o ato público foi a cerimônia de “casamento” entre a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. A peça teatral, encenada por servidores do Ministério da Fazenda, faz referência aos elogios que o ex-governante fez à presidente a respeito de sua postura frente aos movimentos grevistas no setor público. A cerimônia, que contou com entrada triunfal da noiva, arrancou risos e vaias dos servidores presentes. Ao término, como de praxe nas cerimônias religiosas, os noivos se despediram ao som do “Jingle da greve” e os convidados receberam como “lembrancinha”, uma banana.

Ampliada da Fenajufe

Ao término do ato público foram eleitos oito delegados e quatro observadores, a partir de sorteio, que representarão Minas na Reunião Ampliada da Fenajufe, no dia 31 de agosto, em Brasília (DF), onde avaliarão e deliberarão pelas próximas ações do movimento grevista. Os delegados: Rosarlete Roedel, Célio Izidoro, Sebastião Edmar, Lêda Morais, Laerte Ribeiro, Moisés Pinho Silva, Lúcia Maria Bernardes e José Francisco Rodrigues. Os observadores: Mauro Alvim, Márcio Magela, Alírio César e Hélio Canguçu.

Um dia antes da Ampliada, dia 30, os representante mineiros participarão de ato nacional unificado do Judiciário Federal e MPU, em frente ao STJ, às 15h.

Para encerrar a manifestação Hebe agradeceu a presença dos servidores e fez convite para que participem do Comando de Greve em Minas. Além disso, convidou a todos para as próximas manifestações:

Confira a agenda da greve em Minas

27/08, segunda-feira, das 12h às 14h: em frente ao TRT da Rua Mato Grosso, 468

29/08, quarta-feira, das 12h às 14h: em frente ao prédio da Justiça Federal (Av. Álvares Cabral, 1.741, Santo Agostinho)

31/08, sexta-feira, das 12h às 14h: em frente ao TRE da Avenida Prudente de Morais, 100, Cidade Jardim

Fonte: Sitraemg-MG

 

 

Pin It

Jornal de grande circulação no Pará destaca greve no TRE, que terá início nesta terça

A greve dos servidores do TRE do Pará iniciará nesta terça-feira (28) e já está despertando a atenção na imprensa local. Matéria de capa com foto, publicada na edição do último sábado (25) do jornal O Liberal, um dos principais do Estado, afirma, em seu título, que “TRE anuncia greve que pode afetar eleições”.

O texto destacou a passeata promovida na última sexta-feira (24) pelo Sindjuf-PA/AP, que tomou as ruas do centro de Belém, anunciando o início da greve por tempo indeterminado pela aprovação do PL 6613/09. "O poder Judiciário já garantiu a implantação do PCS (Plano de Cargos e Salários) em sua proposta orçamentária. Nossa pressão é para que o governo não vete", explicou o diretor do Sindjuf-PA/AP, Ribamar Silva, em declaração ao jornal. Segundo ele, a greve por tempo indeterminado começa pelo TRE, na próxima terça-feira, mas deve se espalhar por outros órgãos, como o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) e a Justiça Federal. "No caso do TRE, teremos pelo menos 80% das zonas (eleitorais) com paralisações. E se a greve perdurar por mais de uma semana pode representar prejuízos às eleições de outubro", alertou.

Clique aqui para ler a matéria do jornal O Liberal.

Da Fenajufe – Leonor Costa

 

Pin It

Forte adesão à greve da JE em São Paulo tem destaque no Jornal Nacional

A greve dos servidores da Justiça Eleitoral em São Paulo, incluindo o TRE e os cartórios eleitorais, está tendo novas adesões a cada dia, o que já vem preocupando a administração do tribunal quanto ao andamento dos trabalhos preparatórios para as eleições municipais de outubro. E a forte participação dos servidores foi tema de matéria no principal telejornal do país na última sexta-feira (24). O Jornal Nacional, da Rede Globo, veiculou a reportagem “Greve de funcionários do Poder Judiciário prejudica o andamento de processos”, de 1 minuto e 53 segundos, com declaração do diretor do Sintrajud-SP Adilson Rodrigues.

A matéria aborda a adesão dos servidores de vários cartórios eleitorais e também em setores administrativos da sede do TRE, o que vem atrasando a análise de vários processos referentes às eleições de outubro. Além do dirigente sindical, o JN também ouviu o assessor da presidência do TRE, que demonstrou sua preocupação quanto ao atraso dos processos em andamento.

Clique aqui e assista à matéria completa do Jornal Nacional.

Da Fenajufe – Leonor Costa

 

Pin It

Mato Grosso rejeita proposta de reajuste de 15,8% e decide fortalecer a greve


A proposta do Governo Federal, de reajuste de 15,8 % em três parcelas até 2015, foi rejeitada pelos servidores do Judiciário Federal de Mato Grosso e eles vão continuar em greve por tempo indeterminado, conforme deliberações da assembleia geral extraordinária desta sexta-feira (24), no TRT-23. O sonoro 'não' da categoria à presidente Dilma foi aprovado após ampla discussão pela categoria, numa assembleia de mais de 3 horas de duração, que contou com a presença de inúmeros servidores do interior do estado.

Confirmando as primeiras avaliações que haviam sido feitas, a categoria no Mato Grosso concluiu que não se trata de nenhum aumento efetivo, uma vez que só o crescimento vegetativo da folha de pagamento do judiciário nos próximos 3 anos já deverá consumir os 15,8% que o governo ofereceu. "Mas esta foi a primeira proposta do governo, e isso quer dizer que podemos forçar a presidente Dilma a melhorar a oferta, pois o seu governo neste momento está visivelmente fragilizado, com mais de 500 mil servidores públicos em greve", ponderaram os membros do Comando Regional de Greve.

Com isso, ao invés de encerrar a greve iniciada no dia 8 de agosto na Justiça Federal, Justiça Eleitoral e Justiça do Trabalho, Mato Grosso aprovou a continuidade do movimento, com vários encaminhamentos para fortalecer a greve. Um deles é o Ato Unificado que os servidores do Judiciário Federal irão promover durante toda a manhã desta terça-feira (28), na praça Ulysses Guimarães, em conjunto com os servidores federais de várias outras categorias em greve, incluindo o Sindsep, a Adufmat, a Polícia Rodoviária e a Polícia Federal.

Na assembleia desta sexta (24) a categoria elegeu o representante de Mato Grosso para o Comando Nacional de Greve no período de 28 a 30 de agosto de 2012, que será o servidor Amer Khalil. Ele também foi eleito como delegado do Sindijufe-MT para a reunião ampliada da Fenajufe, no dia 31/8, em Brasília. Para o Ato Público Nacional do Judiciário, no dia 30/8, também em Brasília, a caravana de Mato Grosso deverá ser composta por Amer Khalil, Cosme Bezerra, Eliane Rodrigues e Rodrigo de Carvalho.

A próxima assembleia dos servidores do Judiciário Federal de Mato Grosso será realizada segunda-feira (27), às 14 horas, no saguão de entrada da Justiça Federal.

Fonte: Sindijufe-MT

Pin It

Cartórios eleitorais fortalecem greve em Santa Catarina

Ato unificado reuniu, na quinta-feira (23), cerca de 200 servidores públicos em Chapecó-SC. A caminhada, que iniciou no centro da cidade, contou com a presença de servidores da Justiça Federal, Justiça do Trabalho, MPU, Ministério da Agricultura, Polícia Rodoviária Federal, IF-SC (Escola Técnica Federal), base do Sinasefe e fiscais federais agropecuários. A atividade iniciou às 14 horas e encerrou às 16 horas, ocupando a movimentada avenida Getúlio Vargas.

Também nesta quinta-feira, os servidores do TRE enviaram mensagem aos colegas dos Cartórios Eleitorais. Os servidores da Justiça Eleitoral no interior do estado vêm, através de várias mensagens ao Sindicato e aos servidores já em Greve na Capital, ratificando apoio e possibilidade de adesão ao movimento. O indicativo é de Greve geral no dia 28.

Em reunião na quarta-feira (22), o Comando Nacional de Greve avaliou a proposta de reajuste apresentada pelo governo federal e, com base no debate feito durante a reunião, decidiu orientar que os sindicatos promovam assembleias com a categoria e indicou a rejeição do índice de 15,8%, em três parcelas de 5%, com implementação até 2015.

Na avaliação dos dirigentes sindicais, embora essa primeira contraproposta do governo desde o início da luta pelo PL 6613/09, o PCS, que completa três anos, seja resultado da greve em vários estados e no Distrito Federal, o reajuste proposto não atende às reivindicações da categoria. Por outro lado, mostra que o movimento grevista de categorias do funcionalismo público começa a surtir efeito. “Por isso, precisamos intensificar as mobilizações em todo o país para garantir a reposição salarial que o governo nos nega há seis anos”, enfatiza representante do Sintrajusc-SC. A Assembleia em Santa Catarina será na segunda-feira, às 17h, no TRE-SC”.
 
Fonte: Sintrajusc-SC

Pin It

afju fja fndc