Servidores do Judiciário e MPU respondem a carta de Dilma e pedem valorização

No final do ano de 2013 a Presidente Dilma enviou uma carta de agradecimento e de feliz ano novo para os servidores públicos federais.

Em 2013, os servidores e suas entidades em campanha salarial passaram o ano buscando dialogar com o governo Dilma, pautados exatamente no valor do trabalho dos servidores para sociedade e do seu reconhecimento por meio da valorização salarial e de garantias de direitos, mas não tiveram sucesso. O governo tem adotado como prática não negociar com os trabalhadores e tem atuado para por fim ao instrumento de greve, com corte de ponto, substituição de servidores e abertura de processos administrativos aos trabalhadores que participam do movimento.

Os servidores públicos têm sofrido constantes ataques em seus direitos desde à época do governo FHC (PSDB), e esse cenário tem permanecido nos últimos governos do PT. Ao enviar esta carta aos servidores, a presidente tenta esconder o cenário de arrocho salarial e ataques constantes aos direitos desses trabalhadores, como os projetos contra o direito de greve, pelo fim da estabilidade, concretização da privatização e destruição da previdência com a Funpresp, que se somam a outras inúmeras perdas.

Os servidores do Poder Judiciário e do MPU ficaram 7 anos sem reajuste, com perdas salariais que chegaram a  40,67% ( 2006 – 2013),  e o governo tem fechado os olhos para esses números e mantendo este arrocho salarial. Alcançamos um aumento ao final de 2012 somente depois de uma grande greve dos servidores federais, parcelado em 03 anos, que já foi corroído pelo aumento da inflação.

O atual governo mantém o conjunto dos servidores sem garantia do reajuste anual com o estabelecimento da data-base, em claro desrespeito à constituição, além de ter interferido na autonomia orçamentária do Poder Judiciário e do Ministério Público da União, quando fez cortes em seus orçamentos.

Enquanto isso, quase metade do orçamento público vai para o pagamento de uma suposta dívida, com mais de 900 bilhões para banqueiros e empresários em 2013 (deverá pagar mais de um trilhão em 2014, de um total de 2,48 trilhões do orçamento total da União). Segundo estudos da  Auditoria Cidadã da dívida “esse valor consumido pela dívida corresponde a 10 vezes o valor previsto para a saúde, a 12 vezes o valor previsto para a educação,  a 4 vezes mais que o valor previsto para todos os servidores federais (ativos e aposentados) ou 192 vezes mais que o valor reservado para a Reforma Agrária”.

Por isso, a Fenajufe vem a público reafirmar que um serviço público de qualidade passa pelo respeito e valorização dos servidores públicos, conclamando os servidores do Judiciário Federal e MPU a participarem do calendário da campanha salarial unificada dos servidores federais em 2014 e, caso não tenhamos nossas reivindicações atendidas, da grande greve geral do conjunto dos servidores públicos federais para 2014.

Fenajufe

Pin It