Papel do Judiciário no pós-pandemia é tema do Sala de Entrevista

Mediadores e Convidados buscam apontar caminhos para a melhor compreensão da organização do trabalho que emergirá da pandemia do novo coronavírus

Que tipo de sociedade teremos quando sairmos dessa crise? E em que nível estarão as relações e a organização do trabalho no Brasil pós-Covid-19? Quais os novos perfis de conflitos que surgirão de relações de trabalho desequilibradas onde o polo passivo – o trabalhador – está ainda mais desprotegido? E o principal: qual será o papel do Poder Judiciário no pós-pandemia.

Para tentar entender essas perguntas e construir conceitos que possam indicar respostas, o programa Sala de Entrevista – Especial Lives da Fenajufe - desta quinta-feira, 25 de junho,  convidou a presidente da Associação Nacional dos Magistrados do Trabalho (Anamatra), a juíza Noemia Porto e o desembargador do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região, Jorge Luiz Souto Maior.

Para se ter uma ideia do cenário que se desenha, apenas na Justiça do Trabalho, segundo o Termômetro Covid-19 NA Justiça do Trabalho, já são 44.323mprocessos trabalhistas referentes à pandemia, perfazendo R$ 2,48 bilhões em causas com valor médio de R$ 56 mil.

O Termômetro é plataforma publicada pelo site Consultor Jurídico e organizada pela instituição de educação Finted e a startup Datalawyer Insights, que permite a visualização, em tempo real, dos dados dos processos cujas petições iniciais citam "Covid-19", "coronavírus" ou "pandemia".  Para acessar, clique neste link.

O Sala de Entrevista – Especial Lives da Fenajufe – desta quinta-feira, 25, tem como mediadores os coordenadores de Comunicação da Fenajufe, Isaac Lima e Thiago Duarte.  O programa pode ser acompanhado em tempo real pelo Facebook (https://bit.ly/2Vf3ceX), YouTube (https://bit.ly/3bGcuGj) e RádioWeb Fenajufe (aqui).

 

Luciano Beregeno, da Fenajufe (texto e arte)

Pin It