CNJ institui Comitê de enfrentamento do assédio moral, sexual e discriminação racial no PJU

Portaria 299 é dispositivo de resolução de 2020 e cria políticas  de combate  ao assédio no Judiciário

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) publicou a Portaria 299/2020 no mês de dezembro. O documento cria um Comitê para atuar na prevenção, controle e no combate ao assédio moral, sexual e as várias formas de discriminação no Poder Judiciário.

 A criação do Comitê é um dispositivo da Resolução 351/CNJ publicada no mês de  outubro passado e visa elaboração de ações para o enfrentamento ao assédio moral, sexual e outras formas de violência no PJU. Objetivo principal é promover o trabalho digno, saudável, seguro e sustentável no âmbito do Poder Judiciário.

Instituído por meio da Portaria 299/2020, o Comitê é composto por nomes de peso nas questões sociais do CNJ, como a Conselheira Tânia Regina Silva Reckziegel, primeira mulher eleita para ocupar as cadeiras de desembargadores representantes da Justiça do Trabalho no Conselho.  Ela atuará como coordenadora.

Além disso, o Comitê poderá ter a participação de membros do Ministério Público, da Defensoria Pública (DPU) e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) na condição de convidados. Já o representante dos servidores do Poder Judiciário será um servidor indicado pela Associação dos Servidores do próprio Conselho.

Vale ressaltar que a Resolução 351 aplica-se a todas as formas de condutas de assédio e discriminação no âmbito das relações socioprofissionais e da organização do trabalho no Poder Judiciário praticadas presencialmente ou por meios virtuais, inclusive aquelas contra estagiários, aprendizes, prestadores de serviços, voluntários e outros.

A prática de assédio seja moral ou sexual e também de discriminação, são formas de violência psicológica que afetam fisicamente a vida do trabalhador, comprometendo sua identidade, dignidade e relações afetivas e sociais, podendo ocasionar graves danos à saúde física e mental.

A Fenajufe incentiva políticas de respeito e igualdade para toda a categoria. Em 2020, a Federação protagonizou “Lives” com debates sobre as várias formas de discriminação e preconceito como racismo, violência contra as mulheres, racismo institucional, entre outros, reforçando a luta por uma sociedade justa e igualitária.

Acesse a portaria 299:(https://www.fenajufe.org.br/images/comite.pdf)

Reveja os temas das Lives no endereço: Facebook - https://www.facebook.com/fenajufe.nacional/

YouTube - https://bit.ly/3bGcuGj

 

Joana Darc Melo, da Fenajufe

Pin It