Entidades pressionam Lira pela suspensão da PEC 32 e entregam abaixo-assinado com quase 130 mil assinaturas

O presidente da Câmara recebeu  os dirigentes após manifestação que pediu a suspensão da Reforma 

Os coordenadores da Fenajufe Fernando Freitas e Roberto Policarpo participaram, nessa quarta-feira (9), na Câmara dos Deputados, do ato de entrega do abaixo-assinado pela suspensão da reforma administrativa (PEC 32/20). A petição, com quase 130 mil assinaturas, foi entregue pelas entidades ao presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL).

Na avaliação de Fernando Freitas, Lira só recebeu a comissão por causa da repercussão das manifestações do dia 29 de maio. Para o dirigente, ele se mostrou inflexível e deixou claro que a Reforma é necessária e que precisa avançar. Freitas reforça empenho das entidades para pressionar o Congresso para impedir a tramitação.

Para o coordenador Roberto Policarpo, derrotar a PEC é um desafio para a sociedade. Segundo ele, o cenário de reação popular contra o governo pode favorecer o recuo da tramitação da PEC32. Policarpo lembrou que novas manifestações estão sendo programadas para o dia 19 e que é importante a união para enfraquecer a gestão de Bolsonaro e derrubar o andamento da proposta pelo menos enquanto perdurar a pandemia.

O dirigente reforça ainda que nesse momento é fundamental manter pressão e mobilizações virtuais e até presenciais, junto aos parlamentares e concentrar naqueles que foram designados para compor a Comissão Especial, principalmente nas bases eleitorais.

Os representantes das entidades entregaram ao presidente da casa o abaixo assinado reivindicando pausa no andamento da Reforma Administrativa. É consenso dos dirigentes que a pausa na tramitação, é o mínimo de respeito que o governo deve ter com a população brasileira que já conta com quase 480 mil mortos por Covid-19.

Arthur Lira utilizou da mesma narrativa que o governo vem usando para enganar os servidores sobre os efeitos da reforma administrativa. Lira, deixou claro que o governo vai se empenhar na aprovação da proposta. O presidente da Câmara insiste na tentativa de convencer a todos de que a reforma não afetará os atuais servidores.

Mas a defesa da classe trabalhadora para derrubar essa proposta, no entanto, vai muito mais além. A aprovação da Reforma administrativa vai desencadear uma série de prejuízos e retirada de direitos para toda a sociedade. A população perderá sua cidadania ao ter negado o acesso a serviços como educação, saúde e justiça.

Nesta mesma data, houve a eleição dos nomes do presidente e do relator da Comissão Especial que vai analisar a proposta. O deputado Fernando Monteiro (PP/PE) foi eleito presidente da Comissão Especial, e para fazer a relatoria o escolhido foi a deputado Arthur Maia (DEM/BA)

Além da Fenajufe, participaram Fenasps, Condsef, SindiMPU, e outras entidades de representações do serviço público e os seguintes parlamentares: Alice Portugal (PCdo B/BA), Rogério Correa (PT/MG), Jandira Feghali (PSOL/RJ), Professor Israel ( PV DF), Alessandro Molon, (PSB/RJ)Marcelo Freixo (PSOL/RJ), Bira do Pindaré,(PSB/MA) Perpétua Almeida (PC do B/AC)), Aliel Machado (PSB/PR(), Bohn Gass (PT/RS) Danilo Cabral  (PSB/PE), e o deputado Alencar Santana (PT/SP).

 

Joana Darc Melo, da Fenajufe

Foto home: Luiz Macedo/Câmara

Foto interna: Fenajufe

Pin It