Fenajufe e Sindicatos analisam cenários em busca de alternativas para defesa de direitos dos Servidore(a)s Públicos

Reunião da Direção Executiva com representantes de Sindicatos Filiados neste sábado, 7, em Brasília, avalia as circunstâncias em que os ataques aos serviços e servidores públicos, bem como ao conjunto dos trabalhadores, se agravaram a partir do avanço do mercado sobre o setor.

Participam da Ampliadinha Sindjus/AL, Sindissetima/CE, Sintrajufe/CE, Sindjus/DF, Sindjufe/MS, Sintrajurn/RN, Sintrajuf/PE, Sisejufe/RJ, Sindiquinze/SP, Sintrajufe/RS, Sintrajud/SP, Sitraemg/MG, Sindjuf/SE, Sinjeam/AM, Sinpojufes/ES, Sindjuf/PA-AP e Sinjufego/GO.

Pela Fenajufe presença das coordenadoras Elcimara Souza, Juscileide Rondon e dos coordenadores Charles Bruxel, Edson Borowski, Engelberg Belém, Erlon Sampaio, Evilásio Dantas, Fabiano dos Santos, Leopoldo de Lima, Ramiro López, Ranulfo Filho, Roniel Andrade e Thiago Duarte.

A primeira mesa em o Assessor Parlamentar da Fenajufe, Antônio Augusto de Queiroz, mais conhecido como Toninho do Diap, analisando os aspectos das medidas propostas pelo governo e a forma como elas impactam o atual modelo de estado.

O palestrante delineou as premissas que norteiam a atuação do governo:

- Transferência de atribuições da união para estado se municípios (lógica em curso no Executivo);

- Criar Organizações de serviço social autônomo para gerir serviços públicos;

- Empresas privadas para prestar ao cidadão, serviços que eram públicos;

- Voucher – dá o voucher (tíquete) e o cidadão vai comprar o serviço onde quiser.

Outro aspecto abordado foi o despreparo do Brasil para enfrentar os desafios impostos pela automação e digitalização impostos pela revolução tecnológica em curso. O país pode se desindustrializar e isso comprometer ainda mais as condições sociais.

Toninho apontou também a gravidade do conjunto de medidas em tramitação, como as PECs 186, 187 e 188 que, em análise mais técnica, regulamentam e agravam os gatilhos de disparo do limite do teto estipulado na Emenda Constitucional 95. Um exemplo é que a EC 95 aciona o limite quando se ultrapassa o teto e não há previsão de recurso extra. Com os mecanismos estabelecidos nestas PECs, esse gatilho é disparado, mesmo havendo a previsão de recurso extra.

O cenário se agrava ainda mais se observado que agora, também há um conjunto de propostas de origem legislativa que atacam o servidor, como aquelas que preveem a redução da jornada de trabalho com redução de salários e ainda suspendem a progressão na carreira. Com isso, a interlocução e o debate na seara que, originariamente é para estas discussões, tende a se complicar.

A reunião ampliadinha da Fenajufe continua ao longo do sábado, 7, e da continuidade a debates de peso iniciados na reunião da Direção Executiva da Federação, realizada na sexta-feira, 6. 

Ao final de sua participação, Queiroz enfatizou que a única forma de fazer frente a esses ataques é através da unidade de ação. Concentrar o esforço em ações unitárias e fortalecidas. Ele avalia que só uma coisa sensibiliza parlamentares: gente na rua, mobilização, discurso único. 

Ainda na avaliação do consultor, o momento exige também unidade de ações de emergência, informação e clareza no processo. "Ou o sindicalismo retorna às bases, ou o estrago será permanente. Então, a ordem é queimar sola de sapato, contato olho no olho", disse.  

Quanto ao trabalho de convencimento daqueles que hoje ainda estão reticentes, o conselho é desenvolver a narrativa que "desideologize" essa narrativa. "Não vamos dizer o que ele tem que fazer, mas vamos ensinar o cara a pensar para que ele chegue à conclusão que chegamos, para que ele raciocine sem ser contaminado pelas pautas acessórias: nacionalismo, religiosidade". Eis o desafio.

A análise de Antônio Augusto pode ser assistida na íntegra, a seguir:


 

Luciano Beregeno, da Fenajufe (texto e fotos)

 *Alterada às 17h07 do dia 9/12 para retirada do trecho que atribui, erroneamente, fala ao palestrante. O trecho retirado atribuído a Antônio Queiroz foi externado por participante da Ampliada ao comentar o cenário desenhado pelo palestrante

Pin It